terça-feira, 8 de junho de 2010

Carregamento de carros eléctricos será gratuito até ao final de 2011




08.06.2010 - 12:18 Por Luís Villalobos, em Xangai 
Público - Lisboa

O carregamento de carros eléctricos será gratuito “durante os primeiros tempos” e, pelo menos, até ao final do ano que vem. A garantia foi dada ao PÚBLICO pelo administrador da EDP, Jorge Morais, empresa que é o principal accionista da sociedade gestora do Mobi.e, a rede de mobilidade eléctrica de Portugal.Embora este seja um sistema aberto, ao qual outras empresas de distribuição de electricidade poderão aderir, ao ser fundadora do projecto a EDP poderá aproveitar os primeiros meses de arranque para fidelizar clientes.

Cada condutor de um veículo eléctrico terá um cartão de carregamento (um pouco à semelhança do Multibanco), que informará o posto de carregamento qual é o seu fornecedor. Ao ser a primeira empresa a disponibilizar este tipo de cartões, e com a estratégia de gratuidade durante vários meses, a EDP poderá desde logo captar diversos utilizadores, que, em princípio, apenas mudarão para um futuro concorrente no abastecimento se o preço for mais convidativo.

No que respeita aos carregamentos dos veículos, o responsável pelo Gabinete para a Mobilidade Eléctrica em Portugal (Gamep, ligado ao Governo), João Dias, afirmou ao PÚBLICO que os primeiros postos do sistema piloto serão inaugurados em Julho, em Lisboa (actualmente existem apenas protótipos).

Segundo este responsável, que, tal como Jorge Morais, foi um dos participantes do seminário sobre o Mobi.e realizado no pavilhão de Portugal na Expo de Xangai, o objectivo é ter, pelo menos, 320 locais de carregamento no terreno até ao final do ano.

A ideia é que exista uma rede mínima já disponível, pronta a ser utilizada, quando chegarem ao mercado português os primeiros veículos eléctricos, os Leaf da Nissan, que serão comercializados a partir de Dezembro. Até ao final do ano que vem, estima-se que o número de postos de carregamento chegue aos 3500.

O seminário sobre o Mobi.e, presidido pelo ministro da Economia, Vieira da Silva, contou ainda com a participação de Luís Lobo, da Novabase, e terá outra sessão amanhã. Na audiência estavam cerca de três dezenas de representantes de empresas e organismos chineses, entre as quais a Shanghai University of Electric Power, a Shanghai Automative Industry Corporation (SAIC) e a State Grid Shanghai Jiulong Electric Technology (que tem vindo a desenvolver projectos nesta área).

O jornalista viajou a convite da EDP

Nenhum comentário:

Postar um comentário