terça-feira, 25 de setembro de 2012

A cidade do futuro já existe: é Songdo

23/09/2012 - O Globo, Jogando Verde

Por enquanto, Songdo é uma pequena cidade com pouco mais de 22 mil residentes. Mas, quando seu ambicioso projeto for concluído, em 2017, ela será uma metrópole, totalmente planejada para ser sustentável. Prova disso é que, com 50% de seus prédios construídos, a cidade já tem cerca de 1,27 milhão de metros quadrados com a certificação Leed (selo de sustentabilidade dado pelo Green Building Council americano). O número é equivalente a toda área certificada no Brasil pelo GBC nacional: 1,3 milhão de metros quadrados.
Entre os prédios sustentáveis já concluídos estão o primeiro centro de convenções da Ásia (o Convensia), a primeira torre residencial (a Central Park I), o primeiro hotel (Sheraton Incheon) e a primeira escola (Chadwick Internations School) da Coreia do Sul a receber a certificação Leed. Mas o que mais impressiona no projeto é a estrutura verde que está sendo montada na cidade.
Coleta de lixo inteligente
O sistema de transportes, por exemplo, além de privilegiar o pedestre, inclui ciclovias, ônibus, metrô e até táxis aquáticos, já que a cidade está sendo construída em um terreno de seis quilômetros quadrados às margens do Mar Amarelo e a 65 quilômetros de Seul. Nas vias públicas, há até sensores que permitem a diminuição de luzes em ruas desertas ou a mudança no tempo de um sinal de trânsito quando o tráfego estiver intenso.
Outro grande investimento está sendo feito na coleta de lixo, que será transportado por um sistema com canos instalado nos prédios, sem a necessidade da coleta dos caminhões como conhecemos hoje. Além disso, 40% da área da cidade será verde (parques e praças) e toda Songdo será conectada.
O investimento para criar algo assim, claro, não é pequeno. Até agora, já foram gastos R$ 10 bilhões. Mas, considerado o maior investimento imobiliário privado já feito, a construção de Songdo vai consumir US$ 35 bilhões (ou cerca de R$ 70 bilhões). Serão 3,7 mil metros quadrados de prédios comerciais e três mil de residenciais (haverá 80 mil apartamentos). A expectativa para 2017, quando o novo centro financeiro estiver pronto, é que 65 mil pessoas morem na cidade e outras 300 mil, entre trabalhadores e estudantes, circulem por lá diariamente. Até o fim deste ano, o número de habitantes já deve ter um crescimento significativo: de 22 mil para 27 mil pessoas.


Enviado via iPhone

Nenhum comentário:

Postar um comentário