terça-feira, 25 de novembro de 2014

Após polêmicas com o trânsito, prefeito de Roma enfrenta pedidos de demissão

25/11/2014 - O Globo

ROMA — Eleito no ano passado, o novo prefeito de Roma, Ignazio Marino, tinha como seu maior desafio melhorar o trânsito da capital italiana, um dos maiores problemas da cidade. O mandatário implementou algumas mudanças, mas não foi o que os romanos esperavam. Além das medidas impopulares, ainda foram descobertas infrações de trânsito do próprio prefeito. Foi o estopim para os italianos pedirem sua demissão.

O trânsito sempre foi um grande problema em Roma, qualquer pessoa que passa pela cidade leva como recordação o caos de carros e motos pelas vielas da Cidade Eterna. Eleito em 2013, Marino, do Partido Democrático, prometeu criar leis e restrições que melhorariam o tráfego. Suas medidas, porém, revelaram-se impopulares. Primeiro o prefeito proibiu a circulação de carros na rua que circunda o antigo Forum Romano, para deixar o passeio dos turistas mais agradável. Mas com uma rua a menos, o trânsito no centro só piorou, e os romanos ficaram insatisfeitos. Depois, Marino resolveu aumentar o preço dos estacionamentos, para desestimular as pessoas a saírem de carro, mas, com um sistema de transporte público deficiente, a medida também gerou apenas a ira da população.

O que mais enfureceu os romanos, porém, foi o descaso de Marino com as leis de trânsito da própria cidade que governa. Para trafegar no centro, é necessária uma licença anual que custa algumas centenas de euros, e o carro do prefeito, um Fiat Panda vermelho, foi visto algumas vezes na região com sua licença vencida. Além disso, Marino deixou de pagar oito multas por infrações de trânsito. A gota d'água da revolta popular veio quando um canal de televisão flagrou o Panda do prefeito parado em local indevido perto do Senado.

Os pedidos de demissão vieram em coro durante pronunciamento do prefeito sobre suas infrações. Marino, então, resolveu adotar uma postura desafiadora, classificando as acusações como "fixação com meu carro", e disse que em vez de se demitir, continuaria tomando medidas para transformar a cidade após "anos de negligência". O democrata ainda mostrou os recibos das multas pagas, com um valor que ultrapassava mil euros, e disse que o acúmulo das multas e o vencimento de sua licença foram culpa de algum assessor.

Mesmo depois de mostrar as multas pagas, a postura ofensiva de Marino não convenceu parte da população, que continua a pedir sua demissão. O prefeito tentou, então, baixar a guarda, mostrando-se arrependido e pedindo desculpas, e solicitando que parem de pedir sua demissão. Se a população o perdoará é uma incógnita: uma pesquisa encomendada por seu próprio partido mostrou que Marino tem o apoio de apenas 20% dos romanos

Nenhum comentário:

Postar um comentário