terça-feira, 3 de novembro de 2015

Coreia do Norte mostra seu primeiro ônibus de energia solar

02/11/2015 - Agência EFE


Seul, 2 nov (EFE).- A Coreia do Norte apresentou nesta segunda-feira na televisão estatal o que seria seu primeiro ônibus alimentado com energia solar, como parte da estratégia do país de potencializar as energias renováveis para reduzir sua custosa dependência do petróleo.

A televisão central norte-coreana (++KCTV++) mostrou imagens de um ônibus de aspecto antigo com o teto completamente coberto de painéis solares na cidade de Nampo, cerca de 40 quilômetros ao sudoeste da capital, Pyongyang.

O veículo está equipado com 32 painéis solares de 100 watts, 50 baterias e um motor elétrico de 50 quilos, e é capaz de alcançar uma velocidade de até 40 km/h.

A "KCTV" não explicou, no entanto, se o ônibus funcionará exclusivamente por energia solar ou possui um sistema híbrido.

Em todo caso, trata-se da primeira vez que o regime de Kim Jong-un mostra um veículo com painéis solares.

Nos últimos anos, a energia solar fotovoltaica está despertando um crescente interesse na Coreia do Norte, onde já podem ser vistos painéis em algumas casas e edifícios públicos, e os meios fizeram referência ao apoio do governo a esta fonte de energia.

Pyongyang trata de reduzir sua dependência do petróleo pois tem que importar da China e outros países, o que representa um elevado custo para sua economia de planejamento estatal, caracterizada pela falta de competitividade no mercado internacional.

Além de arrastar uma constante crise desde os anos 90 do século passado, a economia norte-coreana sofre os efeitos das sanções sobre o comércio impostas pelo Conselho de Segurança da ONU como resposta aos múltiplos testes nucleares e de mísseis do militarizado regime.

Mesmo assim, desde que Kim Jong-un chegou ao poder no final de 2011, foram observados progressos tanto em tecnologia como em infraestruturas em todo o país, apesar de persistir o problema da escassez de alimentos que afeta grande parte da população.

Nenhum comentário:

Postar um comentário