sexta-feira, 27 de maio de 2011

Grand Paris Express automatic metro routes chosen

27/05/2011 - IRJ

GRAND Paris, the public body set up last year to implement a 175km network of automatic metro lines serving the French capital and its suburbs, has defined the routes for the new lines. The project will be completed in three phases up to 2025, when it is expected to attract an additional 2 million passengers to rail transport.

The Euros 32.5bn project is split into Euros 20.5bn for new lines and Euros 12bn for improving existing infrastructure. New construction will be funded by the French government (Euros 4bn), special taxes (Euros 6bn), local authorities (Euros 0.9bn), and a loan of Euros 9bn.

Grand Paris Express comprises three lines. The 95km Euros 17.5bn Blue Line will encircle Paris running clockwise from Le Bourget via Chelles, Noisy-Champs, Champigny, Villejuif, Issy, Nanterre, La Défense, and St Denis Pleyel to Le Bourget with a branch from there to Roissy Charles de Gaulle Airport and Le Mesnil-Amelot.

The 30km Euros 1bn Blue Line will involve extending the automatic Line 14 of the Paris metro north from St Lazare via St Ouen to St Denis Pleyel and south from Olympiades via Villejuif to Orly Airport.

The 50km Euros 2bn Green Line will follow an arc through the western suburbs, and will run from Orly Airport via Massy-Palaiseau, St Quentin, and Versailles to Nanterre, although the Versailles - Nanterre section will not be completed until after 2025.

In the longer term, lines from St Denis Pleyel to Bobigny, Rosny, Noisy-Champs and Champigny Centre are planned. Grand Paris Express will also serve three proposed TGV stations at St Denis Pleyel, Nanterre and Orly Airport.

TRADUTOR GOOGLE

Grand Paris Express automática rotas metro escolhido

GRAND Paris, a entidade pública criada no ano passado para implementar uma rede de 175 quilômetros de linhas de metrô automático que serve a capital francesa e seus arredores, definiu as rotas para as novas linhas. O projeto será concluído em três fases até 2025, quando espera-se atrair um adicional de 2 milhões de passageiros ao transporte ferroviário.


O projeto de euros 32.5bn é dividido em 20,5 bilhões de euros para novas linhas e12 mil milhões de euros para melhorar a infra-estrutura existente. Nova construçãoserá financiada pelo governo francês (Euros 4 bilhões), os impostos especiais (6 mil milhões de euros), as autoridades locais (0.9 biliões de Euros), e um crédito de 9 bilhões de euros.

Grand Paris Express compreende três linhas. A 95 km de euros 17.5bn Linha Azulvai cercar horário compreendido entre Paris Le Bourget via Chelles, Noisy-Elysées,Champigny, em Villejuif, Issy, Nanterre La Défense, e St Denis Pleyel de Le Bourget, com um ramo de lá para o aeroporto Roissy Charles de Gaulle Aeroporto e LeMesnil-Amelot.

A 30 km de 1 bilhão de euros Linha Azul vai envolver o alargamento da linhaautomática 14 do norte do metro de Paris a partir de St Lazare via St Ouen para StDenis Pleyel e no sul da via Olympiades Villejuif aeroporto de Orly.

A 50 km 2 bilhões de euros a Linha Verde vai seguir um arco através dos subúrbiosocidentais, e será executado do Aeroporto de Orly através de Massy-Palaiseau, St Quentin, e Versalhes para Nanterre, embora o Versailles - Nanterre seção não estará concluído até depois de 2025.

No longo prazo, linhas de St Denis Pleyel de Bobigny, Rosny, Noisy-Elysées e do Centro de Champigny são planejadas. Grand Paris Express também servirá trêsestações de TGV propostos em St Denis Pleyel, Nanterre e do Aeroporto de Orly.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Metro de Rabat entrou em funcionamento

26/05/2011 - Transportes em Revista (Portugal)

O sistema de metro ligeiro que liga as cidades marroquinas de Rabat e Salé e cuja operação e manutenção está a cargo da Veolia Transdev, já entrou em funcionamento. Nesta primeira fase, o metro ligeiro percorrerá diariamente 17 quilómetros e servirá 26 estações, estando operacional de segunda-feira a sexta-feira das 7h00 às 21h00 e aos sábados das 7h00 às 13h00, com uma frequência entre estações que varia entre os 15 e os 17 minutos na linha 1, e os 30 minutos na linha 2. A partir do final de Junho será feita a abertura completa dos 20 quilómetros de rede que compreendem 31 estações, com uma frequência de 10 minutos entre as mesmas num serviço assegurado entre as 6h00 e as 23h00 de segunda-feira a domingo. De acordo com a Veolia Transdev “a entrada em funcionamento das duas linhas vem reforçar a qualidade dos transportes urbanos coletivos, proporcionando uma mobilidade urbana mais eficaz e fluida entre a cidade de Rabat que possui uma ampla atividade económica e administrativa e Salé, densa em população”.

por: Pedro Pereira

segunda-feira, 23 de maio de 2011

China inicia testes na maior linha de TGV do mundo

11/05/2011 - Dinheiro Digital

A mais extensa linha de alta velocidade ferroviaria do mundo, um troço de 1.318 quilómetros entre Pequim e Xangai, iniciou hoje um mês de testes, devendo abrir ao público no final de junho.

Construída em tempo recorde, a nova linha reduzirá para cinco horas a viagem entre as principais cidades chinesas, num ano em que o ministério chinês dos Caminhos-de-ferro nem sempre foi notícia por boas razões.

Por “uma questão de segurança e de eficiência energética”, os comboios não ultrapassarão os 300 kms/hora, menos do que a velocidade inicialmente anunciada (350Kms/hora), mas falta ainda fixar o preço que os passageiros terão de pagar.

“A exploração comercial começará no final de próximo mês e o preço dos bilhetes está ainda a ser discutido”, disse um porta-voz do ministério.

Orçada em 220.900 milhões de yuan (cerca de 25.120 milhões de euros) e construída em apenas três anos, a linha Pequim-Xangai é, também, a mais cara infraestrutura do género construída no país.

Com a abertura da nova linha, a China reforça a posição de líder mundial da alta velocidade ferroviária, com cerca de 8.350 quilómetros de extensão no final de 2010.

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Argentina lançará cápsula espacial não tripulada na quinta-feira

16/05/2011 - Folha de São Paulo

Uma cápsula espacial não tripulada será lançada na próxima quinta-feira da província argentina de San Luis. A nave deve chegar a uma altura de 35 quilômetros para testar o funcionamento de um computador comandado a distância, anunciaram os responsáveis pelo projeto.

A cápsula estratosférica, denominada "Clementina" em homenagem ao primeiro computador de uso científico que chegou à Argentina há 50 anos, será lançada pela Aate (Associação Argentina de Tecnologia Espacial) do Parque Astronômico La Punta, em San Luis.


O lançamento coincidirá com a realização, na mesma cidade, do 6º Congresso de Tecnologia Espacial, organizado pela Aate.

A Universidade La Punta, responsável pelo Parque Astronômico, informou que o projeto tem como finalidade incentivar o interesse de jovens pela ciência, embora de modo concreto permitirá provar como comandar de forma remota o computador que leva a sonda para registrar imagens e executar outras ordens.

Para o lançamento serão utilizados globos especiais de hélio, que serão liberados pela sonda em forma remota quando deixar a atmosfera terrestre.

Durante a viagem de 35 quilômetros até a estratosfera, três câmeras de alta definição capturarão diferentes ângulos do voo.

A travessia permitirá observar imagens do território argentino do espaço, da curvatura da Terra e da escuridão do espaço.

Após as duas horas programadas de voo, a cápsula cairá na Terra em uma área que abrange quatro províncias argentinas, mas a sonda leva três sistemas de posicionamento que permitirão rastreá-la.

Como curiosidade, "Clementina" levará em seu interior vários objetos, que serão leiloados em Buenos Aires, entre eles, uma obra da artista plástica Marta Minujin, um boneco do personagem de caricaturas "Gaturro", um robô e um mapa da Argentina feito com tijolos plásticos de brinquedo.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

China iniciará testes com TAV que chega a 380 km/h

10/05/2011 - Terra

A China vai começar a testar o trem-bala que ligará Pequim e Xangai nesta quarta-feira, 11. A velocidade máxima atingida pelo transporte é de 380 km/h. O novo trem faz parte do plano chinês de aumentar o transporte ferroviário no país. O investimento na nova linha custará cerca de US$ 315 bilhões e reduzirá a pouco menos de 5h a distância entre as duas cidades.

Os investimentos no modal ferroviário chinês devem atingir US$ 115 bilhões este ano. A China pretende contar com 13 mil km de linhas ferroviárias até o final do ano e, em 2020, 26 mil km. Com o crescimento desse transporte, as preocupações com a segurança aumentam. Recentemente, o ministro das ferrovias da China, Sheng Guangzu, afirmou que os trens devem ter suas velocidades diminuídas de 380 km/h para cerca de 300 km/h.