quinta-feira, 26 de julho de 2012

Maior estação ferroviária do mundo terá telhado ecológico

26/07/2012 - Exame

Em construção em Hong Kong, terminal subterrâneo de alta velocidade contará com ampla área verde e janelas que permitem a passagem da luz natural


São Paulo – Em 2016, quando os olhos do mundo estiverem voltados para os Jogos Olímpicos no Brasil, a população de Hong Kong vai estar prestando atenção em outra coisa: a inauguração da maior estação ferroviária subterrânea do mundo, com direito à credenciais verdes de tirar o fôlego.

Desenhado pelo escritório internacional de arquitetura Aedas, o projeto foi batizado de Express Rail Link West Kowloon Terminus e ligará Hong Kong a Pequim, na China, por uma distância aproximada de 3825 km. Entre suas características sustentáveis, destaca-se uma gigante cobertura verde, que ajudará a manter o clima no interior sempre agradável.

Além disso, janelas distribuídas por todos os níveis da fachada da estrutura vão assegurar a entrada contínua de luz natural na estação, ajudando a reduzir os gastos com energia para sistemas de iluminação artificial.

Projetado para ocupar 430 mil metros quadrados, com 15 faixas férreas para trens que atingem velocidades de até 200 km/h, o terminal também terá amplas áreas cercadas de árvores para uso livre da população e realização de atividades culturais.Com inauguração prevista para início de 2016, a estação deverá receber quase cem mil pessoas por dia.
 

China terá rede ferroviária de alta velocidade até 2015

25/07/2012 - Agência Xinhua

A China estabelecerá uma rede ferroviária de alta velocidade que cobrirá quase todas as cidades com população superior a 500 mil até 2015, de acordo com um programa oficial.

O Conselho de Estado, ou gabinete chinês, divulgou na terça-feira um plano de construir uma rede de transporte abrangente durante o período de 2011 a 2015.

Segundo o plano, a China deve completar basicamente a construção de uma rede ferroviária de alta velocidade com uma extensão de operação total de mais de 40 mil quilômetros até o fim de 2015.

Analistas preveem crescimento rápido na indústria de manufatura de equipamentos ferroviários.

A China estabelecerá inicialmente uma rede de transporte ampla com uma extensão total de 4,9 milhões de quilômetros, que incluirá principalmente ferrovias, rodovias e canais, segundo o plano.

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Califórnia assina projeto de US$ 4,7 bilhões para TAV

20/07/2012 - Railway Technology

O governador da Califórnia, Edmund G. Brown Jr, assinou um projeto de lei para captação inicial de recursos para o investimento de US$ 4,7 bilhões para um projeto ferroviário de alta velocidade de US$ 68 bilhões no estado norte-americano.

O novo projeto de lei, que inclui um investimento de US$ 2,6 bilhões bancado por recursos federais adicionais, permite que a Califórnia reivindique US$ 3,2 bilhões para o projeto do trem que ligará São Francisco a Los Angeles.

Ao melhorar os sistemas de transporte regionais, estamos investindo no futuro de nosso estado e fazendo da Califórnia um melhor lugar para se viver e trabalhar”, afirmou Brown.

O porta-voz John A. Pérez revelou que a legislação autoriza o primeiro ramo da construção para o desenvolvimento.

Esse ambicioso projeto irá criar milhares de postos de trabalho e gerar bilhões de dólares para o nosso estado, e meus colegas e eu estamos muito satisfeitos de trabalhar com o governador para fazer esse projeto ir em frente acrescentou Pérez.

A construção do trecho inicial da ferrovia, ligando Merced ao Vale de San Fernando, está prevista para iniciar em abril de 2013.

O projeto de lei também inclui captação de recursos no valor de US$ 1,92 bilhão para projetos ferroviários locais de modo a melhorar a conectividade através do estado. A captação de recursos suportará uma conexão de veículo leve sobre trilhos de 2 milhas a ser construída no Sul da Califórnia, ligando-se ao tráfego metroviário existente e fornecendo percurso de integração até a Union Station.

Mais de US$ 700 milhões serão alocados para na área da Baia de San Francisco para modernização do sistema Caltrain, com trilhos eletrificados, em uma licitação com o objetivo de prepará-lo para conectividade de alta velocidade em 2019. Recursos federais e locais, no total de US$ 2 bilhões, serão fornecidos para melhorias na área da Baia.

Os recursos também serão utilizados para a troca dos vagões de carga das composições nos principais serviços de trens urbanos, como o BART na área da Baia, bem como para a implementação de controle positivo dos trens e um sistema de segurança automatizado projetado para impedir as colisões de trens.

Recursos federais e locais, totalizando U$ 7,9 bilhões, serão fornecidos à Califórnia para o sistema de trânsito estadual, que proporcionará um total de mais de 950 milhões de viagens por ano.

sábado, 21 de julho de 2012

Equador: Aeroporto José Joaquín de Olmedo é considerado o melhor do mundo

20/07/2012 - hoy.com.ec

O Aeroporto José Joaquín de Olmedo, em Guayaquil – Equador,  foi declarado pelo Conselho Internacional de Aeroportos, como o melhor do mundo na categoria de terminais que recebem de 2 a 5 milhões de viajantes por ano. Também foi condecorado com o posto de segundo melhor aeroporto da América Latina, atrás apenas do Aeroporto de Cancun, no México.

Além disso, o complexo aeroportuário foi reconhecido como o aeroporto que mais incrementou e melhorou a qualidade em seus serviços entre 2010 e 2011 na América Latina e Caribe. Os prêmios foram entregues após as vistorias de passageiros realizado pela ACI. Ángel Córdova, executivo da concessionária Tagsa, administradora do aeroporto, aproveitou a oportunidade para apresentar dois scanners que estão em funcionamento desde a quarta-feira (18), no controle da chegada de passageiros de voos internacionais. O aeroporto é o primeiro da América Latina a possuir este serviço.

Vale assina acordo para construir ferrovia na Argentina

19/07/2012 - Agência EFE

O Governo da Argentina assinou nesta quinta-feira um acordo permitindo que a Vale construa uma ferrovia a fim de levar a produção da mina de potássio Rio Colorado até um porto que será construído na cidade de Bahía Blanca, sobre o Atlântico.

'Este é o maior projeto do mundo em matéria de potássio, que é um dos nutrientes fundamentais para a agricultura', destacou a presidente argentina, Cristina Kirchner, no ato de assinatura do acordo.

A Vale investirá US$ 1,1 bilhão na construção de um novo lance férreo de 370 quilômetros e na renovação de 750 quilômetros de vias já existentes.

Esse lance unirá a planta de processamento de potássio, localizada na província de Mendoza, no oeste do país, a um porto em Bahía Blanca, situado cerca de 700 quilômetros ao sul de Buenos Aires, desde onde será exportada a produção.

A ferrovia, uma vez cessada a exploração, dentro de cerca de 50 anos, será transferida gratuitamente ao Estado argentino.

O projeto de Rio Colorado irá gerar 12 mil postos de trabalho e contemplará um investimento total de US$ 6,455 bilhões, incluindo ainda a construção de uma usina elétrica.

As reservas de potássio desta mina chegam a 430 milhões de toneladas e a capacidade de produção pode ascender a 4,35 milhões de toneladas anuais, segundo os cálculos da empresa.

Cristina Kirchner precisou que graças a este projeto, que deverá começar a operar no segundo semestre de 2014, a Argentina se tornará o terceiro maior exportador e o quinto principal produtor mundial de potássio.

Israel construirá TAV entre Tel Aviv e Beersheba

17/07/2012 - Railway Technology

Israel aprovou os planos de construção de uma nova via ferroviária de alta velocidade conectando Tel Aviv, na costa do Mediterrâneo,à cidade de Beersheba, ao Sul do deserto de Negev. Quando concluída, a nova via deverá reduzir os tempos de viagem entre as duas cidades de 76 para 55 minutos.

A aprovação é parte de um projeto multibilionário, em dólares, para a melhoria da infraestrutura de transportes de Israel, destinado a consolidar a cidade de Tel Aviv como um polo econômico e cultural, o qual poderá ser acessado a partir de todas as principais áreas metropolitanas em tempos de 30 a 40 minutos por volta de 2020.

Israel também abriu uma nova via ferroviária conectando Tel Aviv com a região Sul da cidade de Kiryat Gat, que reduzirá os tempos de viagem para 32 minutos entre as duas localidades.

Atualmente, Israel não conta com nenhum serviço de trens em alta velocidade, embora a Israel Railways esteja construindo uma via de alta velocidade entre Jerusalém e Tel Aviv, com previsão de início de operação em 2017 e redução nos tempos de viagem de 95 minutos para um pouco mais de meia hora entre as duas cidades.

A via férrea se conectará à linha existente que liga Beersheba a Dimona e oferecerá oito novas estações, incluindo uma no futuro aeroporto em Timna. Em fevereiro de 2012, o governo de Israel aprovou a construção da via ferroviária de 350 km entre Tel Aviv e Eilat, destinada a oferecer uma nova rota de comércio entre Ásia e Europa para concorrer com o Canal de Suez.

De acordo com as estimativas iniciais, o projeto custará NIS 7 bilhões (US$ 1,8 bilhão) para a instalação dos trilhos e poderá alcançar algo em torno de NIS 30 bilhões (US$ 7,9 bilhões) computando os custos de material rodante, duplicação da via férrea, eletrificação e equipamentos periféricos.

O projeto ferroviário de Eilat envolve a construção de uma via férrea de 240 km ligando Dimona a Eilat e terá 63 pontes e cinco túneis, incluindo um extenso túnel que conecta o platô de Negev ao Vale Arava.

A linha terá duas vias, uma para o transporte de passageiros e outra para cargas, e a previsão de conclusão da construção é de cinco anos após a data de início.

sábado, 14 de julho de 2012

Esvaziando o avião

13/07/2012 - Revista Ferroviária

A demanda de transporte tem surgido como questão central nos debates do congresso Highspeed, que se realiza esta semana na Filadélfia. Em vários países as PPPs estão se multiplicando, até mesmo na China. E quando se fala em participação privada, o assunto número de passageiros vem para o primeiro plano.  Nesta quinta-feira (12/07), segundo dia do congresso, tratou-se do TGV Est, uma linha de 300 km, inaugurada em 2007, entre Paris e Estrasburgo, na fronteira entre a França e a Alemanha, para velocidade de 320 km/h. O título da palestra era “Competição Ar-Trilho na Linha Leste de Alta Velocidade Francesa”, e pelos números apresentados não deve demorar muito para a Air France suspender os voos, como suspendeu para Bruxelas depois do Thalys. Em dezembro de 2011, 87% do mercado partilhado entre o avião e o trem, ou 1,8 milhão de passageiros/ano, contando passageiros entre Paris e Estrasburgo e vice-versa, estavam no trem, com tendência a aumentar. Antes da inauguração, os passageiros se dividiam em partes iguais entre os dois modos de transporte.

Dos passageiros ferroviários, 1,5 milhão/ano surgiu depois da alta velocidade, migrando do avião para o trem ou simplesmente aparecendo como demanda nova. Este fenômeno da demanda induzida pelo trem também se verifica em qualquer linha de alta velocidade que se inaugure. É o que os espanhóis chamam de “tráfego de sogras”, pessoas que habitualmente não viajam, porque não gostam de avião nem de estrada, mas que não se incomodam em viajar de trem. Nas palestras do Highspeed, surgiu como regra de ouro que 30% da demanda de cada linha nova aparece do nada.

O tempo de viagem entre Paris e Estrasburgo é mais do dobro no trem: 2h20 contra 1h05 no avião. A linha de alta velocidade na verdade ainda não está concluída, e faltam 100 km na chegada a Estrasburgo, onde o trem trafega em linha convencional.  Em compensação a passagem de trem é bem mais barata: para uma reserva com 30 dias de antecedência, o bilhete de TGV sai a 70 euros ida e volta em segunda classe e a 125 euros por avião, também ida e volta. Há 16 frequências diárias de trem e 10 de avião.

Chantal Carnel, da SNCF, terminou a apresentação com um recado para os ambientalistas:

“O 1,5 milhão de passageiros transferidos do avião para o trem depois da inauguração da linha de alta velocidade significam uma redução anual de 114 mil toneladas de emissão de CO2, que por sua vez equivalem 330 mil viagens aéreas de ida e volta entre Paris e a Filadélfia, onde se realiza este congresso”.