terça-feira, 30 de outubro de 2012

Inaugurarán Línea 12 del Metro el próximo martes

28/10/2012 - Cronica.com

Tras realizar las pruebas de pilotaje automático, maniobras técnicas y ajuste de elementos en su infraestructura, la Línea 12 del Sistema de Transporte Colectivo (STC) Metro, quedó lista para ser inaugurada el próximo martes.

El Gobierno del Distrito Federal (GDF) anunció en un comunicado que la también llamada Línea Dorada, que correrá de Mixcoac a Tláhuac, iniciará su funcionamiento con 21 trenes, así como 20 estaciones a lo largo de 26 kilómetros.

El diseño para el recorrido de la Línea 12 incluyó su paso por las delegaciones Tláhuac, Coyoacán, Benito Juárez, Xochimilco (desde Tulyehualco), Milpa Alta, Álvaro Obregón e Iztapalapa.

De acuerdo con el GDF, esta línea cuenta con estaciones amplias y servicios como sanitarios y escaleras eléctricas, entre una serie de elementos que la hacen una obra accesible a toda la población, incluyendo personas con discapacidad.

Recordó que del 17 de junio al 2 de octubre, se organizaron recorridos de familiarización que permitieron a dos millones 640 mil usuarios conocer las instalaciones de la nueva línea, localizar la ubicación de las estaciones, medir tiempos de traslado y observar la tecnología con la que cuenta.

El gobierno local detalló que el sistema de torniquetes de la Línea Dorada está habilitado para operar con la nueva Tarjeta del Distrito Federal (TDF), lo cual además de coadyuvar con el cuidado del medio ambiente, "facilita el acceso a los usuarios y les otorga comodidad".


Enviado via iPhone

Israel: comboio aéreo vai deslocar-se a 7 metros de altura em 2014

30/10/2012 - Menos um Carro

Um projecto-piloto feito em colaboração com a NASA vai levar às ruas de Tel-Aviv, em Israel, um comboio aéreo eléctrico que deslocar-se-á a 7 metros de altura. O projecto está a ser promovido como uma forma ecológica e rápida de facilitar o transporte público.
Segundo o anúncio do presidente da câmara de Tel-Aviv, Ron Huldai, o chamado "comboio aéreo" terá, numa primeira fase, uma linha de 7 quilómetros, perto do porto, que estará concluída em dois anos.
O sistema do comboio será movido a electricidade extraída do próprio sistema e a velocidade máxima será de 240 km/h, avança a BBC Brasil.
Jerry Senders, director da empresa Skytrain responsável pela tecnologia, adiantou que, cada veículo terá um motor misto, de electricidade e ondas magnéticas, e deslocar-se-à o a 7 metros de altura, preso sob trilhos suspensos no ar. A NASA está a contribuir para este projecto, sendo responsável pela inovação das ondas magnéticas.
"A principal inovação do projeto é o movimento por intermédio de ondas magnéticas, e essa é a contribuição tecnológica da NASA", explica. "Não haverá atrito entre o veículo e o trilho de alumínio, já que, a partir do momento em que o veículo começar a mover-se, criar-se-á, por meio da onda magnética, uma espécie de travesseiro de ar", acrescenta o diretor.
Os trilhos de alumínio do comboio aéreo de Tel Aviv serão erguidos entre postes, que também servirão como fonte de energia. "O sistema aproveitará ondas magnéticas que serão geradas pelo próprio movimento dos veículos sob os trilhos de alumínio", afirma Senders.
Os veículos serão leves e pesarão apenas 200 quilos cada, e poderão transportar dois passageiros por carruagem e até 11 mil pessoas por hora. Os passageiros que entrarem no comboio poderão carregar num botão, indicando em qual estação querem parar.
"O sistema tem características de uma espécie de internet física", explica Senders, acrescentando "ou seja, uma rede ilimitada de linhas aéreas, que poderá, inclusive, ter estações dentro de edifícios e sobre os prédios".
No futuro, a Skytrain prevê ampliar a rede aérea para as periferias de Israel, e chegar até Eilat (uma cidade no sul do país).


Enviado via iPhone

domingo, 28 de outubro de 2012

Táxis londrinos são os melhores do mundo. Saiba o que você pode fazer para copiar essa eficiência

18/10/2012 - O Estado de São Paulo

Táxis brasileiros não estão bem posicionados. Confira algumas dicas para fazer do táxi um bom negócio

ESTADÃO PME

Divulgação
Táxis de Londres foram eleitos os melhores do mundo pelo quinto ano consecutivo
Simpatia, conhecimento do trajeto, limpeza, segurança e qualidade de direção foram os pontos que fizeram os táxis de Londres serem escolhidos como os melhores do mundo pelo quinto ano consecutivo, segundo pesquisa da Hoteis.com divulgada nesta quinta-feira, dia 18. Os táxis londrinos venceram as cinco das sete categorias que serviram de parâmetro para a pesquisa. Os táxis brasileiros não estão bem colocados no ranking. São Paulo aparece na 35ª posição e o Rio de Janeiro em 50º lugar.
::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::
:: Twitter ::
:: Facebook ::
:: Google + ::

Londres ficou com 11% dos votos, seguida por Nova York (6,4%), Tóquio (5,6%), Xangai (4,8%) e Bangcoc (4,35%). Apesar do bom desempenho em cinco categorias, os táxis londrinos foram eleitos os piores na categoria valor, liderada por Bangcoc. Nova York liderou a categoria disponibilidade de frota. A pesquisa ainda mostrou que 15% dos entrevistados nunca dão gorjeta para taxistas e 39% arredondam o valor da corrida.
Brasil
Em relação aos dados do Brasil, os entrevistados responderam quais as qualidades mais importantes no serviço de táxi. Por ordem de importância, os pontos citados foram: disponibilidade, simpatia, qualidade da direção, conhecimento do trajeto, limpeza, valor e segurança. A pesquisa ainda abordou o valor da gorjeta para o taxista. O resultado foi que 60% arredondam o valor da gorjeta, 20% dão 10% de gorjeta e 20% nunca dão gorjeta.
No caso do valor médio das corridas de táxi no País, 60% gastam entre R$ 3,16 e R$ 80 por mês com táxi, 20% gastam entre R$ 80 e R$ 158 e os outros 20% são divididos entre os que gastam entre R$ 158 e R$ 237 e os que gastam entre R$ 237 e R$ 316 por mês.
:: Dicas do projeto Taxista Empreendedor do Sebrae ::

Planejamento
Planejar é definir os objetivos do seu negócio, é estabelecer metas e criar os meios para atingi-las. O planejamento envolve a melhor aplicação dos recursos financeiros, a manutenção ou renovação do veículo e as estratégias para ampliar e atrair a clientela.
Organização
Organizar é coordenar as suas próprias atividades, aproveitando recursos e tempo ao máximo. Significa cuidar da burocracia – documentação, licenças, seguros etc.. Fazer os pagamentos em dia e prestar contas de contratos e serviços. Evitar o desperdício de dinheiro só traz benefícios. Afinal, as prestações de contas, os repasses e as remunerações são praticamente diários.
Controle
Controlar é acompanhar bem a aplicação dos seus recursos. Seja com planilha de computador ou com a boa e velha caderneta. O importante é conhecer bem os custos: a manutenção do veículo, o consumo, as corridas diárias e as despesas com todos os fornecedores.
Gestão eficiente
Quem trabalha bastante merece ser bem remunerado. Ao administrar bem o seu negócio, você aumenta as chances de conseguir os melhores resultados. E garante vida longa no competitivo mercado de transporte de passageiros. A chave para isso está no conhecimento, na informação e na capacitação. Para o sucesso com seu táxi, você deve ter conhecimento da gestão, do mercado, dos custos e do controle financeiro.
Passageiro
Atender bem o passageiro é o objetivo do negócio. Quem você leva no seu táxi vai avaliar e dar a nota do seu trabalho. Conhecer bem seus clientes é essencial.


Enviado via iPhone

Hoje na História: 1904 - Nova York inaugura sua primeira linha de metrô

27/10/2012 - Opera Mundi

Atualmente, sistema metroviário da cidade é o maior do mundo

Às 14h35 do dia 27 de outubro de 1904, o então prefeito da cidade de Nova York, George McClellan, assume os controles do à época inovador "sistema de trânsito rápido", o metrô subterrâneo. Londres orgulhava-se de possuir a mais antiga rede de transporte metroviário (inaugurada em 1863) e Boston já havia construído sua primeira linha em 1897. Mas nenhuma ultrapassaria a extensão da de Nova York.

Clique aqui e confira o vídeo:

A primeira linha, operada pela IRT (Interborough Rapid Transit Company), estendeu-se por cerca de 15 quilômetros, percorrendo 28 estações. Partia da City Hall na baixa Manhattan e seguia para o Grande Terminal Ferroviário Central. De lá, dirigia-se sentido oeste, ao longo da rua 42, rumo ao Times Square. A linha então termina, desviando-se para a direção norte, desembocando na Broadway e no Harlem.

No dia da inauguração, o prefeito McClellan colocou em prática sua formação como engenheiro para assumir os controles do trem até a rua 103. Às 19h daquela tarde, o transporte subterrâneo abriu suas portas para o grande público. Mais de 100 mil pessoas pagaram um níquel cada uma para fazer sua primeira viagem debaixo de Manhattan.

Os serviços da IRT expandiram-se para o Bronx em 1905, ao Brooklyn em 1908 e ao Queens em 1915. Desde 1968, o metrô local vem sendo administrado pela MTA (Metropolitan Transport Authority). O sistema agora tem 26 linhas e 468 estações em operação. A linha mais longa, o Trem Expresso 8ª Avenida A, estende-se por mais de 52 quilômetros, do ponto mais ao norte de Manhattan até o extremo de Queens, região sudeste.

Todos os dias, cerca de 4,5 milhões de passageiros usam o metrô de Nova York. Com exceção do trem que conecta Nova York com Nova Jersey e algumas partes do sistema de trens elevados de Chicago, o metrô de Nova York é o único sistema de trânsito rápido do mundo que funciona 24 horas por dia, sete dias por semana. Não importa quão lotado ou sujo seja, o metro é uma das poucas instituições novaiorquinas que seus moradores, ou turistas, não podem dispensar.

O jornal The New York Times descreveu a excitação dos habitantes da cidade na ocasião da seguinte forma: "pela primeira vez em sua vida, o padre Knickerbocker viajou ontem no trem subterrâneo. Ele e seus filhos em número de 150 mil, em meio ao alarido de assobios e fogos de artifício, para uma primeira viagem num trem que corre debaixo da terra e que por anos foi ridicularizado como uma impossibilidade".

O primeiro sistema ferroviário subterrâneo, o Metropolitan Railway, foi inaugurado em Londres em 1863. Os trens se moviam a vapor, o que causava graves problemas nos túneis. Contudo, o sistema caiu no gosto popular. Em 1890, foi paulatinamente introduzido o sistema de trens elétricos, o que fez do tráfego subterrâneo algo mais prático, seguro e saudável.

Embora o primeiro metrô dos Estados Unidos tenha sido implantado em Boston, em 1897, Nova York tornou-se finalmente a cidade norte-americana mais associada ao transporte subterrâneo. Após ganhar licitações municipais em 1913, a IRT e sua rival BRT (Brooklyn Rapid Transit) incrementaram substancialmente o número de linhas, consideradas modernas até os dias atuais.

Fonte: Opera Mundi

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Bicicleta elétrica é a saída para a crise em Roma

21/10/2012 - Wall Street Journal

Por LIAM MOLONEY, de Roma

Liliana Ginanneschi se casou recentemente em uma cerimônia na prefeitura de Roma. Para não ficar presa no trânsito, foi de bicicleta elétrica. Fez mais: alugou bicicletas também para os convidados, para que ninguém perdesse o momento do "sim".

"Quando a cerimônia acabou, subimos nas bicicletas e fomos para a festa", contou a diretora de cinema. "Dois convidados gostaram tanto da ideia que acabaram comprando uma bicicleta elétrica".

O famoso trânsito de Roma, o alto custo da gasolina, a falta de lugar para estacionar, uma rede de metrôs limitada e frequentes greves no transporte público estão levando o italiano a explorar outras formas de se locomover. Com o motorzinho movido a uma bateria recarregável para ajudar nas pedaladas, a bicicleta elétrica vem ganhando popularidade.

Embora não haja dados oficiais, o chefe-adjunto da polícia municipal de Roma, Diego Porta, confirma que o uso da bicicleta elétrica vem crescendo na capital italiana — até entre as forças de segurança, onde já há oito em uso. "Parece uma saída natural contra o custo de vida mais alto, com coisas como o preço da gasolina", diz.

Na Itália, o preço do litro da gasolina chegou a mais de 2 euros (R$ 5,28) no meio do ano, culpa da alta dos preços do petróleo e de um novo imposto sobre combustíveis no país. Hoje, o preço está em cerca de 1,80 euro por litro.

Enlarge Image

Nadia Shira Cohen para o The Wall Street Journal
Liliana Ginanneschi pedala sua bicicleta elétrica em Trastevere, Roma.

Em toda a Europa, a venda de bicicletas elétricas subiu durante a crise, diz Kevin Mayne, da Federação Europeia de Ciclistas, em Bruxelas. Já a venda de carros na Itália vem caindo. Em setembro, o volume de licenciamento de novos veículos foi 26% inferior ao de um ano atrás; baixando a níveis da década de 1970. As vendas de motocicletas também declinaram.

Já a procura pela bicicleta elétrica — que ao contrário de motocicletas e Vespas não exige seguro, pagamento de imposto sobre circulação nem gasto com gasolina — está subindo. A Ancma, a associação italiana de ciclos e motociclos, espera que a venda de bicicletas elétricas cresça no mínimo 10% no próximo ano.

"O interesse hoje é fenomenal. Potenciais compradores estão fazendo fila para conferir as bicicletas", diz Franca Camplone, diretora de vendas no varejo da companhia de energia renovável Enel Green Power SpA, EGPW.MI -2.35% que calcula que 50 mil bicicletas elétricas serão vendidas em toda a Itália este ano — em comparação com praticamente zero cinco anos atrás. A empresa começou a vender o veículo em setembro e lançou uma campanha para promover a bicicleta elétrica como presente de Natal.

"Estamos pasmos com o número de pessoas que chega a nossas lojas para comprar ou buscar informações sobre uma bicicleta dessas", disse Valerio Verrino, dono da Ecovia, loja de bicicletas elétricas perto do Coliseu.

Segundo Verrino, o preço de uma bicicleta elétrica com marcha varia de 950 euros a 2.000 euros — cerca de um terço a menos do que o de uma Vespa e menos de metade do custo de uma motocicleta.

Embora a Itália seja um nome forte no ciclismo profissional, a bicicleta convencional nunca decolou como meio de transporte em Roma, cidade de ladeiras e de barbeiragens no trânsito. Segundo uma pesquisa da Eurobarometer de 2011, a bicicleta é o principal veículo de transporte de 4,7% dos italianos, menos do que a média da União Europeia (7,4%) e muito aquém da Holanda (31,2%).

Em Roma, as autoridades esperam mudar a situação. Em setembro, a prefeitura anunciou que vai construir 1.650 quilômetros de ciclovias na cidade e arredores. Hoje, não há quase nada.

O sistema de transporte público é irregular. Em Roma, linhas de metrô não chegam a pontos importantes da cidade, pois antigas ruínas subterrâneas limitam seu alcance. A cidade volta e meia sofre com greves no transporte público.

Roma é a terceira cidade europeia com o trânsito mais congestionado. Empata com Bruxelas e perde para Varsóvia e Marselha, segundo o índice de congestionamento divulgado em julho pela empresa de GPS TomTom.

"Um dia, fiquei tão irritada de não achar um lugar para estacionar o carro perto de um clube no qual ia encontrar uns amigos que decidi voltar para casa", contou Anna Paulis, uma psiquiatra de 42 anos que comprou uma bicicleta elétrica há um ano e meio. "Agora, vou com minha bicicleta para toda parte quase que diariamente".

A Enel Green Power calcula que, na Itália, o motorista de carro gaste a média de 3.600 euros por ano para os 14 quilômetros que roda por dia, em média. Segundo a empresa, quem circula com uma bicicleta elétrica gasta dez euros em eletricidade para rodar a mesma distância.

Fãs da bicicleta elétrica dizem, ainda, que o motociclo é a solução para o velho problema que circular de bicicleta traz para o romano preocupado com o visual: como ir para cima e para baixo sem chegar exausto, suando em bicas.

De bicicleta normal, "você não chegaria apresentável para um jantar romântico a dois", diz Tommaso Giacchetti, um rapaz de 28 anos que faz doutorado em engenharia na Universidade Roma Tre. "A aparência é importante".



Enviado via iPhone

Projeto de trem-aéreo da Nasa cruzará os céus de Tel Aviv

25/10/2012 - Terra

Trem elétrico e ecológico, suspenso em trilhos de alumínio a grande altura, será implantado na capital de Israel

Um projeto-piloto feito em colaboração com a Nasa (agência espacial americana) deve levar às ruas de Tel Aviv, em Israel, um trem aéreo elétrico, com trilhos de alumínio, que está sendo promovido como uma "forma ecológica e rápida" de facilitar o transporte público.

Segundo anúncio do prefeito de Tel Aviv, Ron Huldai, o chamado "trem aéreo" terá uma primeira fase com uma linha de 7 km, perto do porto (norte da cidade), a ser concluída em dois anos.

Os veículos poderão alcançar uma velocidade de 240 km/h e "voarão" em uma altura de 7 m, presos sob trilhos suspensos no ar. O sistema será movido a eletricidade, parte da qual será "produzida pelo próprio sistema", disse à BBC Brasil Jerry Senders, diretor da empresa Skytran, responsável pela tecnologia.

Senders explica que dentro de cada veículo haverá um "motor linear" que será movido por um misto de eletricidade e ondas magnéticas. "A principal inovação do projeto é o movimento por intermédio de ondas magnéticas, e essa é a contribuição tecnológica da Nasa", diz.

"Não haverá atrito entre o veículo e o trilho de alumínio, já que, a partir do momento em que o veículo começar a se mover, se criará, por meio da onda magnética, uma especie de travesseiro de ar e cada bondinho navegará no ar". O único momento em que haverá atrito com o cabo de alumínio será quando o veículo parar nas estações.

Custos e capacidade
"Trata-se de uma maneira econômica, rápida e ecológica de resolver o problema do transporte público", diz Senders, afirmando que o projeto custará apenas US$ 6 milhões por quilômetro.

Para efeitos comparativos, a prefeitura de Jerusalém concluiu recentemente a construção de um bonde que cruza a cidade, que durou 12 anos e custou mais de dez vezes o preço por quilômetro. E estima-se que o custo por quilômetro do metrô de São Paulo seja de US$ 60 milhões a US$ 100 milhões.

Os trilhos de alumínio do trem aéreo de Tel Aviv serão erguidos entre postes, que também servirão como fonte de energia. "O sistema aproveitará ondas magnéticas que serão geradas pelo próprio movimento dos veículos sob os trilhos de alumínio", afirma a prefeitura.

Os veículos serão leves e pesarão apenas 200 kg cada, e poderão transportar dois passageiros por vagão. Mas, segundo Sanders, poderá transportar até 11 mil pessoas por hora. Os passageiros que entram nos bondinhos podem apertar um botão indicando em qual estação querem parar, como em um elevador.

Segundo Senders, o presidente de Israel, Shimon Peres, já pediu que a Skytran prepare planos para ampliar a rede aérea para as periferias de Israel, e o projeto poderia chegar até Eilat (cidade no sul do país). "O sistema tem características de uma espécie de internet física", explica Senders, "uma rede ilimitada de linhas aéreas, que poderá, inclusive, ter estações dentro de edifícios e sobre os prédios".

"Estou orgulhoso de Tel Aviv ter sido escolhida para a implementação do projeto piloto em colaboração com a Nasa", declarou o prefeito Ron Huldai. "O projeto se enquadra na percepção da prefeitura, que vê Tel Aviv como centro de inovação tecnológica", disse à BBC Brasil o porta-voz da prefeitura de Tel Aviv, Gali Avni Orenstein.


Enviado via iPhone

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

China lança nova ferrovia de alta velocidade

17/10/2012 - Embaixada da República Popular da China no Brasil

Uma nova ferrovia de alta velocidade entrou em funcionamento nesta terça-feira no leste da China, integrando cidades locais à rede ferroviária de alta velocidade que cobre as regiões litorâneas desenvolvidas.

A linha de 132 quilômetros liga Hefei e Bengbu, duas cidades da Província de Anhui, no interior da China, reduzindo o tempo de viagem em pelo menos uma hora para 38 minutos, em um trem que viaja a uma velocidade máxima de 350 quilômetros por hora.

A seção também está conectada com a ferrovia de alta velocidade entre Beijing e Shanghai, e é parte das linhas especiais de passageiros que ligam Shanghai, Wuhan e Chengdu, e conectam Beijing e a litorânea Fuzhou.

A integração reduz de forma significativa o tempo de viagem das cidades de Hefei, Bengbu e Huainan de Anhui ao Delta do Yangtze no leste, ao Delta do Rio das Pérolas no sul e à Baía do Mar de Bohai no norte, todos eles motores econômicos do país.

O percurso mais curto de Hefei à capital Beijing foi reduzido para menos de quatro horas depois que a nova ferrovia entrou em funcionamento. Anteriormente, a viagem por trem entre as duas cidades precisava de pelo menos 10 horas.

Anhui foi incorporada ao plano nacional para fomentar o desenvolvimento das províncias interiores no centro do país em 2006, uma vez que a China busca um desenvolvimento regional equilibrado depois de ter um acelerado crescimento na região oriental.

Hoje, a China conta com mais de 6.800 quilômetros de linhas ferroviárias de alta velocidade que circulam a uma velocidade superior a 200 quilômetros por hora. O país planeja expandir a extensão total das ferrovias de alta velocidade para 18 mil quilômetros até 2015, disse o Ministério das Ferrovias.


Enviado via iPhone

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

TAV Harbin-Dalian entra em testes na China

08/10/2012 - CRI

A linha para passageiros da ferrovia de alta velocidade que interliga Harbin e Dalian, cidades no nordeste da China, entra em fase de operação experimental hoje (8), fazendo preparações finais para a abertura oficial. Esta é a primeira ferrovia de alta velocidade no mundo que passa por uma região alpina.

A linha tem uma extensão de 921 km, mas a viagem dura apenas cerca de 4 horas. Os trens usados no teste e na operação oficial são fabricadas pela China CNR Corporation Limited. As composições suportam temperaturas entre -40 ℃ e 40 ℃ e podem resistir a adversidades naturais como vento, areia, chuva, neve e nevoeiro.

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Os 10 edifícios residenciais mais desejáveis do mundo

05/10/2012 - O Globo Online

Revista americana selecionou empreendimentos de grandes metrópoles, incluindo São Paulo

A revista americana Worth vasculhou metrópoles de todo o mundo em busca dos seus edifícios residenciais mais desejáveis. O resultado, apresentado numa lista com 10 empreendimentos, mostra que, ainda que o momento econômico não seja favorável, os grandes arquitetos continuam a investir em projetos ousados, criativos e, muitas vezes, bastante caros. Entre os empreendimentos eleitos pelo periódico, está o Vitra, 6º colocado do ranking, que será inaugurado em 2013, em São Paulo. Clique na fotogaleria para conhecer as edificações.


Enviado via iPhone

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Aprovadas as obras para o TAV da Califórnia

02/10/2012 - Revista Ferroviária

No dia 19 de setembro, a Administração Federal de Ferrovias dos Estados Unidos (USFRA, sigla em inglês) deu um grande passo para construção do TAV da Califórnia com a aprovação da construção do primeiro trecho da linha, que vai de Merced para Fresno. As obras estão previstas para iniciar no próximo ano.

O trecho Merced-Fresno é o primeiro de vários projetos-chave que compõem a espinha dorsal de um sistema ferroviário de alta velocidade da Califórnia, que conectará milhões de habitantes do Vale Central para São Francisco e Los Angeles, em menos de 2 horas.

A obra é aguardada pela população da Califórnia. O TAV tem o apoio bi-partidário (Democrata e Republicano) dos prefeitos de Los Angeles, São Francisco, San Jose, Sacramento e Fresno, assim como de grandes líderes trabalhistas e ambientais. Segundo o governo da Califórnia, o TAV não só proporcionará uma ligação mais rápida entre as cidades, mas também investirá bilhões de dólares em melhorias para linhas ferroviárias locais e regionais.


Enviado via iPhone