quarta-feira, 29 de maio de 2013

Trens bala vão unir Moscou a Sochi e a Kazan

29/05/2013 - Diário da Rússia

Presidência da Rússia quer construir ferrovias de alta velocidade

O Presidente Vladimir Putin determinou a elaboração de um projeto detalhado de construção de ferrovias de alta velocidade para o transporte de passageiros entre as cidades de Moscou e Kazan e Moscou e Sochi.

Durante uma reunião sobre perspectivas de desenvolvimento de ferrovias de alta velocidade no país, realizada na segunda-feira, 27, o chefe de Estado russo exigiu a criação de uma rede ferroviária realmente eficiente na Rússia, com preços de passagem acessíveis.

Nas palavras de Putin, a atual velocidade de transporte de passageiros e principalmente de cargas via trens no país é praticamente igual à alcançada na União Soviética no final dos anos 1980. Frente a isso, o presidente russo quer construir novas ferrovias modernas, aumentar a velocidade dos trens e otimizar o funcionamento de linhas já existentes.

Segundo informou o jornal "Rossiyskaya Gazeta", o primeiro trecho de ferrovia de alta velocidade a ser inaugurado na Rússia em 2017 deverá ligar as cidades de Moscou e São Petersburgo. O projeto prevê que o trajeto possa ser completado em até 2 horas e 30 minutos, em trens que deverão viajar a até 400 quilômetros por hora. Atualmente, o trem mais rápido ligando as duas cidades consegue percorrer esse trajeto em no mínimo 4 horas e meia. (www.facebook.com/nf365)

Fonte: Diário da Rússia 

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Os 78 anos do Metrô de Moscou

16/05/2013

O Metrô de Moscou completou nesta quarta-feira (15/05) 78 anos de fundação. A primeira linha da sexta maior rede de metrô do mundo foi inaugurada em 15 de maio de 1935. O sistema tem 310 quilômetros, 12 linhas e 188 estações. A prefeitura de Moscou planeja construir, até 2020, outras 64 estações e ampliar as linhas em 137 quilômetros.

O metrô da capital russa é conhecido pela decoração suntuosa e pela profundidade de algumas estações, que por terem sido construídas na época da Segunda Guerra Mundial, serviram de abrigo em casos de bombardeio.

sexta-feira, 3 de maio de 2013

Sistema viário do entorno da Ponte Hercílio Luz deve mudar em meados de 2014


02/05/2013 - Diário Catarinense


O estudo servirá de base para o projeto-conceito que será aprovado por uma comissão da prefeitura, governo do Estado e Iphan - Foto: Julio Cavalheiro / Agencia RBS

Com o anúncio do governo do Estado de que a Ponte Hercílio Luz estará apta a receber tráfego de carros, bicicletas e pedestres em julho de 2014, o Departamento de Infraestrutura (Deinfra) solicitou à prefeitura a adequação do sistema viário do entorno para possibilitar o trânsito na travessia. Uma comissão foi formada para discutir o projeto conceito, mas já existe um estudo preliminar que aponta a necessidade de obras e mudanças no sentido de ruas.

Entre as adequações analisadas por técnicos do Instituto de Planejamento Urbano (Ipuf), está a alteração da direção da Rua Almirante Lamego, que passa embaixo da ponte no lado insular, para o sentido Beira-Mar Norte. Na porção continental, os carros que saem da Ponte Colombo Salles não poderiam mais passar pelo Viaduto Presidente John Kennedy para acessar a Ivo Silveira. Isto para evitar cruzamentos na saída da travessia.

A ideia é abrir o trânsito para carros na ponte de segunda a sábado para diluir o tráfego que as pontes Pedro Ivo e Colombo Salles recebem diariamente. São cerca de 178 mil veículos por dia que atravessam entre Ilha e Continente, sendo que a antiga travessia poderia receber 20% desse fluxo. Também é cogitada a abertura das duas únicas faixas da Hercílio Luz no sentido Continente-Ilha no horário de pico da manhã e mudar o fluxo para a direção contrária à tarde.

Como o fluxo de automóveis é menor aos domingos, o objetivo é deixar o patrimônio histórico para uso exclusivo de pedestres e ciclistas. Segundo o engenheiro do Ipuf e um dos membros da comissão municipal Lírio José Legnani, essa é uma forma de aproveitar o bem cultural para atividades de lazer e dar oportunidade para os curiosos passarem sobre a dama de aço, que completa 87 anos no próximo dia 13.

Outras obras destinadas aos pedestres fazem parte do estudo preliminar do entorno da Ponte Hercílio Luz. Entre eles, passarela de pedestre da saída da travessia na parte da Ilha até a Beira-Mar Norte. No Continente, está prevista a construção de três mirantes e de um estacionamento próximo à ponte.

O estudo servirá de base para o projeto-conceito, que será elaborado de acordo com a análise da comissão criada e anunciada na semana passada pelo prefeito Cesar Souza Junior. Em dois meses, será feito o levantamento para a readequação do trânsito. A primeira reunião deve ser até a próxima semana.

— O estudo é um ponto de partida que pode ser melhorado pela comissão — diz Legnani.

Depois de entregar a proposta conceitual, ainda será necessário contratar o projeto executivo e a obra. Ambos sem prazo para serem realizados. Os custos serão divididos entre Governo do Estado e Prefeitura de Florianópolis, mas nenhuma entidade revelou a previsão de valores a serem investidos.

Tráfego pode começar antes do fim da obra

A Ponte Hercílio Luz, fechada há mais de 30 anos para carros, tem um histórico de atrasos na conclusão da restauração. Na última divulgação, o Departamento de Infraestrutura (Deinfra), estimou para julho de 2014 o retorno do trânsito na travessia, quatro anos após a conclusão prevista inicialmente.

A diferença é que agora existe dinheiro para investir na reforma, com o financiamento de R$ 150 milhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A falta de verba era uma das principais justificativas para os adiamentos.

De acordo com o presidente do Deinfra, Paulo Meller, em julho do ano que vem a ligação deve estar restaurada, o que possibilitará a passagem de carros. Mas a obra segue até dezembro, para desmontar a estrutura provisória, uma espécie de ponte sob a ponte, responsável pela sustentação da travessia durante a troca dos cabos de barra de olhal.

— A obra completa será finalizada em dezembro de 2014, mas com a estrutura do vão central pronta em meados do ano que vem, o trânsito pode ser liberado antes — explica Meller.

Do final de 2012 ao começo de 2013, a restauração teve uma paralisação de 45 dias e só foi retomada com a garantia da liberação do financiamento do BNDES. O contrato foi assinado no começo de abril. Atualmente o Consórcio Monumento faz o contraventamento, que é a instalação de tubos de metal colocados entre cada grupo de quatro estacas para evitar a movimentação da estrutura no mar.

Cronograma da reforma

:: Junho de 2013 - Termina o contraventamento (tubos de metal colocados entre cada grupo de quatro estacas para evitar a movimentação no mar)

:: Outubro de 2013 - Finaliza a construção da estrutura de aço em formado de V sobre as bases, que suportarão a ponte durante a reforma

:: Dezembro de 2013 - Fica pronta a instalação dos macacos hidráulicos entre as duas estruturas para fazer a transferência de carga da ponte

:: Julho de 2014 - Termina a restauração da Hercílio Luz, com a troca dos cabos de barra de olhal e reforço das fundações. Nessa fase, o tráfego pode ser reaberto

:: Dezembro de 2014- Acaba a desmontagem da estrutura provisória, conhecida como ponte sob a ponte, utilizada para sustentar a travessia na reforma

Entidades que participarão da comissão para o sistema viário

- Ipuf

- Deinfra

- Iphan

- Secretaria Municipal de Obras

- Secretaria Municipal de Transportes, Mobilidade e Terminais,

- Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano (SMDU)

- Fundação Franklin Cascaes

- Fundação Catarinense de Cultura (FCC)

Fábrica chinesa produz ônibus elétricos nos Estados Unidos


02/05/2013 -Estadão

Primeiro ônibus chinês fabricado nos EUA é elétrico

LANCASTER, CALIFÓRNIA - O primeiro fabricante de veículos de propriedade chinesa a produzir nos Estados Unidos vai iniciar a produção de mil ônibus elétricos por ano na Califórnia, nas proximidades do deserto de Mojave.

A presidente da chinesa BYD, Stella Li, promete entregar as primeiras 10 unidades de ônibus com poluição zero para a cidade de Long Beach no início do ano que vem.

Dentro de dois anos, a BYD Motors espera produzir 50 ônibus por ano, devendo alcançar a meta de mil ônibus por ano em uma ou duas décadas.

Os ônibus serão equipados com baterias de fosfato de ferro da própria empresa, fabricados em outra fábrica na mesma região,a leste de Los Angeles.

BYD é a maior fabricante de baterias recarregáveis do mundo. Para produzir nos Estados Unidos, já investiu mais de US$ 10 milhões nas duas fábricas.

Quando alcançar a carga máxima de produção, a fábrica de ônibus deverá empregar cerca de mil trabalhadores.

Desde que foi fundada com 20 funcionários em 1995, a BYD Co. Ltd., cresceu substancialmente e já emprega 150 mil pessoas em toda a China e em escritórios na Europa, Japão, Coreia do Sul, Índia, Taiwan, Hong Kong e outros lugares. Entre seus investidores está o bilionário americano Warren Buffett.

A empresa entrou para o ramo de veículos há 10 anos e vem tentando a tempos produzir nos Estados Unidos.

A BYD sonha construir seus automóveis elétricos de passeio nos Estados Unidos para frotas de táxi.

Os ônibus elétricos da BYD podem viajar cerca de 250 quilômetros (155 milhas) com carga completa de passageiros e ar condicionado ligado.

Eles são alimentados por três baterias com uma vida útil de 20 anos. Cada ônibus tem capacidade para 34 passageiros sentados. O preço varia de US$ 100 mil a US $ 200 mil.