segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Construtora brasileira deve atuar na implantação de novo BRT no Peru

21/12/2015 - Blog Ponto de Ônibus

ADAMO BAZANI

A implantação de um novo sistema de BRT – Bus Rapid Transit, corredor de ônibus com maiores velocidade e capacidade, deve ter participação de capital brasileiro no Peru.

A construtora Andrade Gutierrez apresentou uma proposta para a modernização do sistema de transportes e trânsito em Trujillo, a maior cidade do norte do Peru. A brasileira deve investir US$ 138 milhões para o sistema de corredores de ônibus, segundo a imprensa local. Vários problemas têm ocorrido nos transportes da cidade. Os micro-ônibus são antigos, insuficientes para a demanda e há registros de acidentes constantemente.

Não existe prioridade para o transporte coletivo nas vias, sendo assim, os micro-ônibus dividem espaço com os veículos de passeio num trânsito bastante tumultuado.

A proposta é de que o BRT consiga aproveitar a infraestrutura existente de algumas vias, como na avenida Larco, havendo inclusive integrações com outros meios de transporte.

Os corredores devem ter pavimento de concreto e no lugar de micro-ônibus, devem circular ônibus de 12 a 18 metros de comprimento. Fabricantes de ônibus instaladas no Brasil também estão de olho no projeto para fornecimento dos veículos.

Os semáforos também seriam inteligentes, dando prioridade aos ônibus nos cruzamentos.

Para que o projeto da região seja implantado, ainda é necessária a aprovação do Conselho Regional de Investimento Público, do Ministério da Fazenda peruano, e também uma votação favorável do Congresso. A obra deve ficar pronta em três anos.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Israel será o primeiro país do mundo a ter táxis voadores

12/12/2015 - Terra Economia

Melhores soluções para o transporte público urbano são a grande preocupação dos debates da atualidade. Pensar em um planeta mais limpo, com transporte renovável é sem dúvida uma importante solução para combater os problemas climáticos que enfrentamos hoje no planeta. Uma das soluções mais impressionantes até agora parece ser a que Israel resolveu adotar em Tel Aviv, sua segunda cidade mais populosa: implantar de um sistema de táxi suspenso.

As responsáveis pela criação e implementação dos veículos são a Skytran, sediada na Califórnia, Estados Unidos, e a fabricante de produtos aeroespaciais e aeronáuticos IAI – Israel Aerospace Industries, que pretendem iniciar um projeto piloto do sistema até o final de 2016.

O SkyTran dispensa condutores em suas cápsulas com capacidade para até quatro passageiros, que circularão a cerca de 100 km/h em plataformas erguidas seis metros acima das ruas. Estipulam-se estações de embarque a cada 400 metros, que contarão com plataformas secundárias para que o trânsito não seja interrompido.

A princípio, os veículos serão alimentados por meio de energia elétrica. Mas já se estuda a implantação de painéis solares, transformando o SkyTran no meio de transporte mais ecológico do mundo.

Sem contar com a economia. Enquanto sistemas de transportes subterrâneos como os metrôs podem chegar a custar cerca de US$100 milhões por quilômetro construído, o SkyTran pode custar US$8 milhões por quilômetro.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Uber lança versão concorrente ao ônibus nos Estados Unidos

 Empresa acaba de lançar em Seattle a versão do aplicativo para o transporte coletivo

 10/12/2015 - Via Trolebus 

Serviço irá concorrer com ônibus nos EUA
Serviço irá concorrer com ônibus nos EUA
créditos: Divulgação

A polêmica do aplicativo Uber parece que não vai ficar apenas aos adeptos da funcionalidade e os taxitas. A empresa acaba de lançar no Estados Unidos, na cidade de Seattle, uma versão do app para concorrer com linhas de ônibus. O usuários que usa a ferramenta, deve enviar uma solicitação para o aplicativo, que por sua vez avisa o motorista. O passageiro se dirige até o ponto estabelecido no app e para desembarcar, o usuários deverá fazê-lo nos locais determinados.

A Uber informou que, ao solicitar uma corrida, o passageiro vai estar conectado ao motorista e com outros passageiros que vão viajar para a mesma região. Serão inicialmente três linhas pré-determinadas. A tarifa deve ser mais cara que a passagem do ônibus, porém mais barata que os táxis.

Polêmica

O aplicativo foi pivô de muita confusão em várias cidades do mundo, inclusive no Brasil. De um lado taxistas temem perder clientela, e usuários alegam que a livre concorrência e os baixos preços são os melhores atrativos.

O poder público leva em consideração de que um transporte sem regulamentação pode trazer prejuízos a cidade. Em uma de suas entrevistas, o prefeito de São Paulo Fernando Haddad, afirmou que novas tecnologias são bem vindas, mas que é preciso uma regulação nestes meios. Haddad lembra que no passado a cidade se deparou com transportes irregulares, que acabaram sendo uma experiência não muito boa para o moradores, se referindo a época das lotações e peruas clandestinas.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

China testa primeira linha circular de trem de alta velocidade do mundo

26/11/2015 - Agência Xinhua

A província insular de Hainan, no sul da China, começou o teste na quinta-feira de um traçado ferroviário que completa a primeira linha de trem de alta velocidade do mundo a circundar uma ilha. 

Até 20 trens vazios correrão por dia pela parte oeste do anel ferroviário de 345 quilômetros no período de testes. Os exercícios testarão respostas para situações de emergência. O trecho ocidental será oficialmente posto em operação no fim deste ano com uma velocidade projetada de 200 quilômetros por hora, de acordo com seu operador, Companhia Ferroviária de Guangzhou. 

O trecho ocidental tem 16 paradas em seis cidades e distritos, ligando Haikou, capital provincial, com Sanya, local turístico tropical. A construção começou em setembro de 2013 com um investimento de 27 bilhões de yuans (US$ 4,23 bilhões). 

O anel oriental de 308 quilômetros também de Haikou a Sanya, começou sua operação no fim de 2010 com uma velocidade projetada de até 250 quilômetros por hora. A linha passa por Boao, uma cidade cênica onde o Fórum de Boao para a Ásia é anualmente realizado. 

Com uma área terrestre de 35.400 quilômetros quadrados, Hainan é ligeiramente maior que a Bélgica. Um destino popular para amantes de praia, receberá possivelmente 47 milhões de visitantes este ano.

Fonte: Agência Xinhua
Publicada em:: 26/11/2015

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

China testa primeiro trem de levitação magnética de fabricação nacional

30/11/2015 - Por Xinhua,  China Radio International.CRI

O primeiro trem de levitação magnética (maglev, em inglês) de velocidade médio-baixa de produção chinesa começará os testes ainda neste ano, informaram no sábado as autoridades.

A ferrovia de 18,5 quilômetros conecta a estação ferroviária do sul com o aeroporto Huanghua, em Changsha, capital da Província de Hunan (centro), e permite que os trens maglev cheguem a 100 quilômetros por hora.

A Companhia de Locomotiva Elétrica de Zhuzhou começou em maio de 2014 a construir o trem de baixo custo. Até agora utilizou 3,5 bilhões de yuans (US$ 565 milhões), ou 82% do investimento total.

A fabricante ressaltou que seus trens maglev são mais seguros, silenciosos e ecológicos.

O primeiro maglev comercial do mundo, de produção alemã, começou a operar em um percurso de 30 quilômetros entre o centro de Shanghai e o aeroporto Pudong em 31 de dezembro de 2002.


segunda-feira, 23 de novembro de 2015

China planeja construir trem de alta velocidade até Teerã

21/11/2015 -  Agência EFE

Pequim, 21 nov (EFE)- A China planeja construir um trem de alta velocidade até Teerã que a conecte com a Ásia ocidental através dos países centro-asiáticos, informou neste sábado o jornal oficial "China Daily".

Esta linha, proposta pelo operador ferroviário do país, a Corporação de Ferrovias da China, sairia de Urumqi (no oeste do país) e passaria por Almaty (Cazaquistão), Bishkek (Quirguistão), Thashkent e Samarcanda (Uzbequistão), assim como por Ashgabat (Turcomenistão) até chegar à capital iraniana.

O plano inscreve-se dentro da Nova Rota da Seda, uma iniciativa de Pequim para reforçar a posição da China como potência econômica asiática e a presença internacional de suas empresas.

Se este novo corredor de alta velocidade for construído, unificaria a bitola de ferrovia da China com o dos países da Ásia Central, o que permitiria acelerar a conexão ferroviária do país mais povoado do mundo com o oeste do continente.

A China adotou a bitola internacional (1,435 metro), enquanto nos países de Ásia Central está difundido o uso de bitolas maiores (1,52 metro), o que desacelera o transporte e torna mais competitivos os envios marítimos.

Além disso, esta nova linha abriria uma alternativa para o percurso habitual, pelo norte passando pela Rússia, das ferrovias que vão da China em direção ao oeste, como a que liga a cidade de Yiwu com Madri.

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Coreia do Norte mostra seu primeiro ônibus de energia solar

02/11/2015 - Agência EFE


Seul, 2 nov (EFE).- A Coreia do Norte apresentou nesta segunda-feira na televisão estatal o que seria seu primeiro ônibus alimentado com energia solar, como parte da estratégia do país de potencializar as energias renováveis para reduzir sua custosa dependência do petróleo.

A televisão central norte-coreana (++KCTV++) mostrou imagens de um ônibus de aspecto antigo com o teto completamente coberto de painéis solares na cidade de Nampo, cerca de 40 quilômetros ao sudoeste da capital, Pyongyang.

O veículo está equipado com 32 painéis solares de 100 watts, 50 baterias e um motor elétrico de 50 quilos, e é capaz de alcançar uma velocidade de até 40 km/h.

A "KCTV" não explicou, no entanto, se o ônibus funcionará exclusivamente por energia solar ou possui um sistema híbrido.

Em todo caso, trata-se da primeira vez que o regime de Kim Jong-un mostra um veículo com painéis solares.

Nos últimos anos, a energia solar fotovoltaica está despertando um crescente interesse na Coreia do Norte, onde já podem ser vistos painéis em algumas casas e edifícios públicos, e os meios fizeram referência ao apoio do governo a esta fonte de energia.

Pyongyang trata de reduzir sua dependência do petróleo pois tem que importar da China e outros países, o que representa um elevado custo para sua economia de planejamento estatal, caracterizada pela falta de competitividade no mercado internacional.

Além de arrastar uma constante crise desde os anos 90 do século passado, a economia norte-coreana sofre os efeitos das sanções sobre o comércio impostas pelo Conselho de Segurança da ONU como resposta aos múltiplos testes nucleares e de mísseis do militarizado regime.

Mesmo assim, desde que Kim Jong-un chegou ao poder no final de 2011, foram observados progressos tanto em tecnologia como em infraestruturas em todo o país, apesar de persistir o problema da escassez de alimentos que afeta grande parte da população.

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

França restringirá amanhã circulação em Paris se poluição continuar alta

02/11/2015 - Agência EFE

Paris, 2 nov (EFE).- A França restringirá amanhã a circulação dos carros em Paris à metade, de acordo com o número da placa, se o pico de poluição registrado desde ontem persistir, informou nesta segunda-feira a ministra de Ecologia, Ségolène Royal.

A ministra fez o anúncio da China, onde acompanha o presidente, François Hollande, em uma visita oficial que tem como principal objetivo preparar a cúpula do clima (COP21) que Paris sediará daqui a um mês, na qual a França espera conseguir um acordo para a redução da emissões de gases poluentes.

O governo atendeu ao pedido feito ontem, domingo, pela prefeita da capital, Anne Hidalgo, e pelo presidente da região, Jean-Paul Huchon, ambos socialistas como a ministra, apesar de ter sido feito solicitando a medida já para hoje.

Royal afirmou que o pedido das autoridades locais tinha chegado tarde para poder ser aplicado hoje, embora tenha se comprometido a colocá-la em prática amanhã se o índice de poluição continuar alto.

A capital amanheceu hoje com o céu encoberto e chuva leve, o que, segundo os especialistas, pode limpar a atmosfera e reduzir os níveis de poluição.

Hidalgo, que no passado se desentendeu com Royal por sua recusa em restringir a entrada de carros em Paris, pediu ontem "medidas imediatas", após ter sido registrado um pico de poluição em um dia ensolarado e com temperaturas altas para a estação.

Em comunicado conjunto com o presidente da região, a prefeita disse que, para hoje, é esperado que as partículas "PM10", procedentes principalmente de calefações e motores, superem o "nível de informação e recomendação", ou seja, os 50 microgramas em suspensão por metros cúbicos.

Além da restrição da metade dos veículos, a prefeita pediu o fechamento das estradas da capital aos caminhões e a redução da velocidade máxima.

A administração também orientou os segmentos mais sensíveis da população, como mulheres grávidas, crianças, idosos e asmáticos, que evitem a atividade física e deslocamentos ao ar livre.

Também pediram aos motoristas que utilizem na medida do possível os meios de transporte públicos, e decretaram a gratuidade dos estacionamentos nas áreas pagas.

O governo já havia restringido o tráfego de veículos em Paris em março, proibindo a circulação de veículo com placas de final par por causa de outro pico de poluição.

A medida foi adotada após outra queda de braço entre Hidalgo e Royal, que naquele momento se comprometeu a aplicar as limitações de circulação mais automaticamente nos casos de elevada poluição atmosférica.

No entanto, a ministra de Ecologia reconheceu que naquele caso o mecanismo não funcionou de forma adequada e assinalou que "está em avaliação". 

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Medellín, na Colômbia, inaugura linha de VLT

28/10/2015 - Via Trólebus

Linha de Veículos Leves sobre Trilhos tem 4,3 km de extensão e 9 estações, e transportará 85 mil passageiros por dia

Renato Lobo

Inauguração de linha de VLT em Medellín, na Colômb
Inauguração de linha de VLT em Medellín, na Colômbia
créditos: Via Trolebus

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, participou da inauguração da nova linha de VLT – Veículo Leve Sobre Trilhos, da cidade de Medellín.

Após alguns dias de testes, a abertura do serviço do novo modal foi realizada no dia 20 de outubro. A linha do VLT tem 4,3 km, o que inclui nove estações. A expectativa é que o sistema transporte, em média, 85 mil passageiros por dia.

Os trens foram fabricados por um consórcio na qual a Alstom teve a participação de um pouco mais de 50%. Os 12 VLTs são semelhantes aos que operam na França e Espanha. O veículo mede 39 metros de comprimento, e pode vencer rampas com inclinação de até 12%. Os trens devem operar a uma velocidade média de 30 km/h.

A cidade de Medellín conta com 38,1 km de rede de metrô, dividido em duas linhas com mais três de teleféricos, conhecidos como “metrocable”. O sistema transporta em média quase 500 mil passageiros diariamente. Com o novo VLT, os dois meios de transportes serão agora interligados.

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Consórcio incluindo Odebrecht vence licitação para metrô em Quito

28/10/2015 - Portal de Licitações

A prefeitura de Quito anunciou nesta terça-feira que um consórcio formado pela Odebrecht e pela espanhola Acciona venceu um contrato de 1,538 bilhão de dólares para construção da segunda fase do metrô do capital equatoriana.

A definição da disputa, que elegeu a oferta de menor custo, aconteceu após vários atrasos na negociação e problemas para obtenção de financiamento, que chega a 2 bilhões de dólares, incluindo duas fases do projeto, compra de material rodante e imprevistos.

A segunda fase do metrô de Quito inclui túneis subterrâneos, garagens e 13 estações. O contrato será assinado em 60 dias, após o consórcio obter garantias para implementação do projeto.

As autoridades pretendem que o trajeto de 22 quilômetros seja feito em 34 minutos e que o sistema transporte cerca de 400 mil passageiros por dia.

A Odebrecht está envolvida na investigação Lava Jato, da Polícia Federal, que apura escândalo de corrupção na Petrobras e em outras estatais, mas as autoridades equatorianas não viram problemas na participação da companhia na licitação.

A primeira fase do projeto foi construída pela Acciona. A construção da segunda fase terá um prazo de 36 meses.

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Há 40 anos, nasciam as ruas abertas em Bogotá

26/10/2015 -  Jornal GGN - Luis Nassif

As ruas abertas nasceram em Bogotá. Há mais de 40 anos.

Era Domingo, 15 de dezembro de 1974. Neste dia, um grupo de universitários organizou um movimento exigindo mais espaço para as bicicletas em Bogotá. A eles se juntaram cerca de 5000 pessoas que percorreram, durante 3 horas, 8 km de ruas e avenidas do centro da cidade. No domingo seguinte um outro movimento novamente ocupou as ruas do centro de Bogotá, naquela oportunidade para a disputa de competições de ciclismo e atletismo. A repercussão destas  manifestações foi enorme, e levou o poder público a tomar medidas até então impensáveis.

Em 20  de junho de 1976 um decreto definiu a abertura de 4 vias na cidade, com 34 km de extensão, e que ficaram conhecidas como "Las Ciclovías” ou "Ciclotón”. Nelas o trânsito de veículos ficou proibido ao longo da manhã. Com isto, o espaço da via, antes dedicado aos motorizados, se transformou em área de lazer e trânsito de bicicletas. Sua inauguração teve a participação de um grande público. Nascia então o primeiro programa de ruas abertas do mundo.

Porém ele só iria se consolidar a partir de 1982, quando movimentos pró bicicleta conseguiram organizar o evento semanalmente. Em 1986 eram 56 km de ruas abertas aos domingos em Bogotá. No início dos anos 90 o programa perdeu ímpeto até que, em 1994, 33 km de ciclovias foram desabilitados. Este foi um período muito difícil, pois a redução da extensão das ruas quebrava a continuidade dos circuitos.

Em 1995, são elaboradas novas diretrizes para as  Ciclovías. Inicialmente foram feitas pesquisas para identificar os perfis dos usuários. A partir de então as Ciclovías passam a ser vistas como elementos de conexão urbana. A escolha das vias a serem abertas foi criteriosa. Os parques públicos eram considerados como elementos de conexão prioritária, seguidos pelos equipamentos esportivos e, por fim, os elementos arquitetônicos, culturais e históricos da cidade. Esta estratégia permitiu a estruturação de circuitos fortemente articulados com a cidade. Simultaneamente, foi elaborado um novo e maior orçamento para a implementação desta proposta. Também houve uma reorganização das ações elaboradas pelos diversos órgãos responsáveis pelo programa.

Em 1996, as Ciclovias foram ampliadas para 81 km, e atingiram 70% das áreas da cidade. Novos sistemas de sinalização e comunicação são implementados. A fiscalização e a segurança do evento são melhoradas. Os vendedores ambulantes são cadastrados e organizados. Passeios cicloturísticos são oferecidos à população. Um programa de ciclomissas, conectado ao Templo Eucarístico do Parque Simón Bolivar, chegou a existir neste período. O programa foi utilizado como uma forma de difundir a prática de esportes entre a população da cidade. Aulas de como andar de bicicleta e outras atividades esportivas e recreativas são ministradas nos espaços públicos livres dos veículos. O advento de Las Ciclovías fomentou o aparecimento de uma nova relação dos bogotanos com a sua cidade e com seus concidadãos.

A ampliação do programa levou ao surgimento de uma malha de 121 km de ruas abertas em 2006. Hoje cerca de 1,5 milhão de bogotanos disfrutam de sua ampla rede de ruas abertas ao lazer e às bicicletas. Em 27 de janeiro de 2013 quase 2 milhões de pessoas passearam pelas Ciclovías. Apesar de centenas de cidades pelo mundo terem adotado programas semelhantes ao de Bogotá, estas marcas são, até hoje, insuperáveis no mundo.

Por: Marcos Costa

domingo, 25 de outubro de 2015

Ferrovia de alta velocidade chinesa entrará em operação

17/09/2015 - China Radio Internacional

A ferrovia de 308 quilômetros de extensão reduzirá o tempo de viagem entre as duas cidades para cerca de uma hora e meia durante sua etapa de operação inicial.

Na quarta-feira, os engenheiros começaram a testar a nova ferrovia, que se estende 185 quilômetros pela Província de Sichuan e corre 123 quilômetros através da cidade de Chongqing. Ao longo da via principal foram construídos 309 pontes e 38 túneis.

A ferrovia é parte de um importante projeto de corredor oriental de ferrovias de alta velocidade incluído no plano de desenvolvimento nacional de trens rápidos da China.

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Ônibus sem motorista é aprovado em testes na China

14/10/2015 - O Dia

Veículo autônomo identifica sinais de trânsito, muda de pista automaticamente e até ultrapassa carros

Rio - A fabricante chinesa Yutong anunciou que concluiu, de maneira bem-sucedida, testes com um modelo de ônibus, acredite, sem motorista. O veículo percorreu 32,6 km em uma estrada intermunicipal no centro cidade de Zhengzhou, na China, no fim de agosto.

O ônibus é tão inteligente que foi capaz de identificar todos os 26 sinais de trânsito da via, mudar de pista automaticamente e ultrapassar veículos nas pistas próximas, informou a montadora. Ainda assim, sempre havia um condutor de prontidão próximo ao volante em todos os testes para evitar possíveis incidentes.

Ônibus anda sozinho enquanto motorista assiste de braços cruzados
Foto: Reprodução de Vídeo

O veículo autônomo começou a ser pesquisado e desenvolvido em 2012. O vice-engenheiro chefe Tang Wang disse que a tecnologia precisa ser aperfeiçoada antes de entrar em uso efetivamente. "Você pode mudar entre o modo sem motorista e o manual", explicou.

Segundo a revista Wired, a Yutong não revelou a tecnologia que está utilizando e afirmou apenas que o ônibus funciona com laser, radar e sistemas de câmera para conseguir posicionar cada veículo na direção e orientação corretas, informou a Época Negócios online.

O Dia no Coletivo  publicou em abril que a sueca Volvo também testa uma tecnologia na Europa que vai permitir que dois ônibus de tamanho padrão circulem virtualmente conectados, através de rede wi-fi, operando como se fossem um único veículo articulado e com apenas um motorista. Na ocasião, a companhia anunciou que a novidade deve chegar ao Brasil após homologação para vendas na Suécia, prevista para 2018. Um dos objetivos é aumentar a capacidade operacional dos BRTs.

terça-feira, 6 de outubro de 2015

Táxis-robôs sem motorista serão testados no Japão

05/10/2015 - O Globo

RIO - Dezenas de pessoas de uma cidade no Japão serão levadas a lojas locais por táxis sem motorista a partir do próximo ano, em um experimento com tecnologia robótica com potencial de se tornar comercial quando Tóquio, a capital do país, acolher os Jogos Olímpicos de 2020.

Segundo o site do jornal britânico "The Guardian”, a partir de março de 2016, os táxis levarão cerca de 50 moradores de Fujisawa, uma grande cidade costeira perto de Tóquio, de suas casas para supermercados ao longo das estradas principais em viagens de cerca de 3km.

Com isso a empresa Robot Taxi — uma colaboração entre a ZMP, uma desenvolvedora de tecnologia automatizada de veículos, e a empresa de internet móvel Dena — vai esquentar a corrida global envolvendo Google, Ford, BMW e outras grandes companhias, para lançar veículos sem motorista no mercado consumidor.

Apesar dos desenvolvedores japoneses terem fé no GPS, nos radares e nas câmeras de visão estereoscópica do carro, atendentes vão sentar-se no banco do motorista durante as viagens, caso seja necessária intervenção humana, de acordo com relatos da imprensa local.

Se os ensaios de Fujisawa forem bem sucedidos, os carros poderiam ser usados para transportar os espectadores para os Jogos Olímpicos de 2020 e em comunidades rurais que disponham de pouco ou nenhum transporte público.

Como uma das sociedades cujos integrantes estão envelhecendo mais rapidamente no mundo, o Japão é tido como o país ideal para a introdução de veículos de autoconduzidos, em meio a um aumento do número de acidentes envolvendo motoristas mais idosos.

O número de motoristas japoneses com idades entre 75 anos ou mais foi de 4,25 milhões em 2013, e deverá ultrapassar 5 milhões em três anos.

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Turquia coloca em circulação o 1º ônibus do país que opera utilizando energia solar

01/10/2015 - Extra - RJ

A cidade de Istambul, capital da Turquia, colocou em circulação, em setembro, o primeiro ônibus do país que opera com uso de energia solar. Embora utilize combustível tradicional no motor, as telas sobre o veículo fornecem energia para as catracas, alto-faltantes, câmeras, conexão à internet via wi-fi e até carregadores de celular. O sistema também propicia uma carga extra para a bateria do automóvel, aumentando a eficiência energética.

O ônibus foi apresentado numa conferência para a imprensa promovida pela empresa pública que gere o serviço de transportes da capital turca, a Istanbul Electric Tram and Tunnel Company (IETT). O evento ocorreu em uma garagem no distrito de Topkapi, onde fica a primeira estação da rota do coletivo. De lá, ele segue para Eminönü, palco de grande parte das atrações históricas de Istambul, como a Mesquita Azul e a Basílica de Santa Sofia — ou seja, um trajeto com grande apelo turístico.

A IETT já havia apresentado outro ônibus ambientalmente amigável no ano passado. Batizado como "Botobus”, o veículo circula com plantas sobre o teto, de modo a compensar as emissões de gás carbônico. A Turquia vem trabalhando para aumentar a utilização de energia renovável e já tem um dos mais altos índices de capacidade de geração de energia solar da Europa.

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Espanha ganha nova Linha de Trem de Alta Velocidade

30/09/2015 - Via Trolebus

As cidades de León e Valladolid estão agora interligadas por uma ferrovia de alta velocidade com uma distância de 166 km entre as duas localidades. Nesta terça-feira (29), o primeiro-ministro Mariano Rajoy junto com a ministra do Desenvolvimento Ana Pastor inauguraram a nova ligação, com trens que correm até 350 Km/h, reduzindo o tempo de viagem entre Madri e León.

Devem prestar serviços Quatro séries entre elas composições produzidas pela Talgo e Bombardier, e pela CAF e Alstom. A operação ficará a cargo da empresa RENFE.

As estradas de ferro nacionais espanholas somam 15.000 km de vias. Madri e Sevilha já são ligadas por uma linha de alta velocidade, inaugurada em 1991. A segunda linha de alta velocidade, de Madri a Barcelona, foi concluída em 2007. A RENFE também opera a linha de média velocidade entre Madri e Valência, além da malha de trens metropolitanos que abrange 11 cidades, dividindo mercado com outra operadora ferroviária, a FGC.

terça-feira, 29 de setembro de 2015

Holanda testa micro-ônibus sem condutor

28/09/2015 - Via Trólebus

Renato Lobo


car

O passageiro paulistano do Metrô talvez já tenha se acostumado com trens que operam sem condutores, como o caso da Linha 4-Amarela, e o recente inaugurado monotrilho da Linha 15-Prata. Mas, vem da Holanda um novo meio de transporte que dispensa motoristas.

O WEpod será o primeiro “micro-ônibus” do mundo sem condutor a circular em linha comercial, cujo a operação esta prevista a partir de novembro deste ano. O veículo vai prestar serviço para passageiros entre as cidades de Wageningen e Ede, no leste dos Países Baixos.

Foi desenvolvido pela empresa francesa EasyMile e conta com o apoio do programa de mobilidade europeu Citymobil2. Os veículos possuem capacidade para 6 passageiros, e podem atingir a velocidade máxima de 25 km/h. Se for comprovado sua eficácia, o sistema deve ser expandido para outras localidades.

Apesar de ser tratado como micro ônibus, o sistema é muito mais parecido com um people mover, só que sobre pneus. O meio de transporte sobre trilhos é usado em alguns aeroportos do mundo, com baixa demanda.

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Sistema de transporte metroferroviário avança na América do Sul

11/09/2015 - IPESI - São Paulo/SP 

Buenos Aires (Argentina) moderniza o metrô mais antigo da América do Sul, com 102 anos, Santiago (Chile), que tem 106 km em cinco linhas, ganha de São Paulo em extensão e investe na construção de mais duas linhas e a cidade de Panamá (capital do Panamá) colocou em operação sua primeira linha e já licitou a segunda. 

Um panorama mesmo parcial da região mostra o avanço do sistema atestando sua eficiência e aprovação pelos passageiros. 
Juan Pablo Piccardo, presidente do Subterraneos de Buenos Aires, metrô que foi delegado à prefeitura da capital federal pelo governo de Cristina Kirchner, mostrou durante o painel internacional Alamys "O avanço metroferroviário na América Latina" - apresentado na 21ª Semana de Tecnologia Metroferroviária, que acontece até hoje, no Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo - o plano de modernização que está sendo implementado há dois anos.  Em operação desde 1913 com seis linhas, 53 km de extensão, 83 estações e 564 trens, o subterrâneo, como é chamado na Argentina, já mostra sinais de modernidade aos seus um milhão de passageiros diários. A idade média da frota de 48 anos é, segundo Piccardo, a mais velha do mundo, por isso, a empresa adquiriu 468 trens que já começaram a chegar e está fazendo a reforma nos menos velhos. "Todos os trens eram grafitados e estão sendo repintados nas cores originais". Compramos 105 da China, 86 com 11 anos de uso da Espanha, 30 do Japão e 120 da Alstom, do Brasil, citou. "Quando todos chegarem, a idade vai cair para 22 anos". 

O plano prevê também reforma na estrutura, aumento da potência e nos sistemas e a meta da empresa é reduzir de 4,5 minutos para 3,5 os intervalos entre os trens. Em 2019, quando está previsto o início das operações das três novas linhas, o intervalo deve cair para 2,2 minutos. 

As estações e as galerias também passam por reformas e melhorias com instalação de escadas rolantes e nova iluminação. Além de novas lojas e diversos serviços aos usuários, como Wi-Fi grátis, galerias de arte, museu, a meta da empresa é aumentar em 27% o fluxo de passageiros. 

Para fazer todas essas reformas, a Subterraneos conta com recursos de um novo imposto sobre os automóveis, além da receita de publicidade e alugueis de instalações. A tarifa cobre atualmente apenas 43% dos custos, mas deve aumentar a participação com o aumento do fluxo depois de reformado. 

O metrô de Buenos Aires tem administração pública, enquanto o de Santiago, que transporta 2,4 milhões de passageiros por dia, é uma parceria público-privada (PPP). A cidade com 6,5 milhões de habitantes e 867 km² de extensão tem nas cinco linhas do metrô o principal meio de transporte, atendendo 21 bairros. O Transantiago, sistema de transporte por ônibus que opera em corredores exclusivos desde 2006, também abastece o metrô. A integração dos dois sistemas inclui as tarifas. As linhas do metrô de Santiago, que somam 106 km e 108 estações opera com 153 trens, que transportaram em 2014, 670 milhões de passageiros. 

Álvaro Caballero, gerente Comercial e de Assuntos Corporativos do Metrô de Santiago, destacou a reconhecida qualidade dos serviços e disse que as duas linhas com participação da iniciativa privada, com 28 estações, devem estar concluídas em 2018. "Até 2020 com mais dois km o sistema terá 149 km". 

A cidade do Panamá ganhou sua primeira linha de metrô e já licitou a segunda, informou Marco Contin, diretor geral de Transporte da Alstom Brasil. Ele contou que esse era um sonho antigo da cidade que tem 1,2 milhão de habitantes e uma ponte que separa a capital panamenha ao meio. O projeto original do metrô previa passar sobre essa ponte, que tem 50 anos. Na época, o governo foi aconselhado a construir uma nova ponte, mas os recursos seriam insuficientes para as duas obras. Por isso, o projeto ficou parado por dez anos. Um novo governo mudou o projeto, construiu um túnel de 7 km sob o rio e a obra foi executada em contrato "turn-key" (chave na mão) em 38 meses pela brasileira Odebrecht, a espanhola FCC e trens e sistemas da Alstom. O metrô da capital do Panamá tem 13,7 km, doze estações, opera com vinte trens de três carros cada um. A segunda linha prevê fazer a ligação do aeroporto com a linha 1.

terça-feira, 1 de setembro de 2015

Metrô de Buenos Aires recebe primeiro trem da Alstom

31/08/2015 - Via Trolebus

No último dia 27 de Agosto foram entregues os seis primeiros carros Alstom Metropolis para o metrô de Buenos Aires. A composição deverá prestar serviço na Linha H. Foram adquiridos 120 carros, que serão fabricados em aço inoxidável, com ar-condicionado e equipados com sistema de frenagem regenerativa.

O metrô da capital da Argentina possui 6 linhas e atendem a uma média de 1,7 milhões de passageiros por dia. A extensão do sistema é de 55,6 km, em bitola 1435 mm. A primeira linha foi inaugurada em 1913.

Junto com as linhas metroviárias, um sistema de bonde denominado “Premetro” é operado com 7,4 km comprimento. Desde 1994 ele é gerido pela empresa Metrovías, juntamente com outras linhas da rede. O governo local tem planos de estender a malha em 3 novas linhas (F, G e I).

sábado, 29 de agosto de 2015

México e EUA inauguram sua 1ª ligação férrea em mais de 100 anos

 25/08/2015 - EFE

México e Estados Unidos inauguraram nesta terça-feira a ponte ferroviário internacional Matamoros-Brownsville, a primeira ligação férrea entre os dois países em mais de 100 anos e do qual se espera que aumente até em 40% o fluxo de bens na região. 

A nova ponte, que substituirá uma que foi construída em 1910, foi projetada para aliviar o congestionamento e melhorar a segurança viária ao redirigir o tráfego de trens para fora das áreas urbanas de Matamoros (no estado mexicano de Tamaulipas) e Brownsville (Texas), além de reforçar a capacidade de transporte. 

O fluxo de bens e de pessoas nas duas cidades aumentará substancialmente, assim como melhorarão as condições ambientais da região, alegaram em comunicado conjunto as secretarias mexicanas de Relações Exteriores, Fazenda, e Comunicações e Transportes. 

Ainda segundo as secretarias, os tempos para se chegar de um país a outro, tanto para veículos leves como para os de transporte de carga, serão reduzidas consideravelmente e impulsionarão o desenvolvimento econômico da região. 

O projeto é uma grande oportunidade para revitalizar a região urbana de Matamoros, aproveitando os novos espaços que ficarão livres para destiná-los a parques e espaços comerciais, de entretenimento e arte, e melhorar a qualidade de vida dos moradores, acrescentaram as autoridades mexicanas. 


Fonte: EFE
Publicada em:: 25/08/2015

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Com mudança na lei, França está com passagens de ônibus mais baratas

24/08/2015 - O Globo

RIO - O elogiado sistema ferroviário da França está sofrendo uma competição (sadia) com outro modal de transporte público. A aprovação no começo do ano da polêmica Lei Macron (que pretende aumentar a competitividade do país e flexibilizar leis), já está afetando as tarifas de ônibus para baixo, afirma o site Condé Nast Traveler.

Em uma pesquisa de rota entre Paris e Lyon realizada nesta quinta (20), é possível sentir as mudanças. Dentre as diversas opções de valores, há um voo por 162 euros e passagens de ônibus por apenas 6 euros (em uma viagem com duração de mais de 6 horas). O trem entre as duas cidades custa 73 euros na segunda classe, mas a viagem é de apenas 2 horas.

Segundo a Conde Nast, a expectativa é de que a maioria das pessoas ainda escolha o tempo mais curto de viagem, embora mais caro, na hora de se locomover. Ainda sim, o site de pesquisa de transporte GoEuro acredita que cinco milhões de pessoas deverão utilizar os ônibus ao redor do país até o final de 2016.

As mudanças internas vão repercutir também em outros países, já que as companhias francesas inauguraram rotas com valores mais baixos para cidades como Amsterdam, Bruxelas e Barcelona, diz a publicação.

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Argentina inaugura serviço de trem regional

24/07/2015 - Via Trolebus

Após a estatização da rede ferroviária, o Governo Argentino inaugurou um novo serviço de trem ligando a cidade de Neuquén com Cipolletti, na província de Río Negro. As composições que operam no trecho são movidos a diesel por motores Scania 400 HP. Os trens possuem ar condicionado, e disponibilidade para 140 passageiros sentados.

A remodelagem da ferrovia envolveu obras nas estações, reforma dos trilhos e pontes. Novos funcionários foram contratados. A ferrovia possui 55 km de extensão com 10 passagens de nível. O serviço pode ser pago com uma espécie de Bilhete único.

A rede ferroviaria Argentina possuí 34.059 km, e conexões internacionais com Paraguai, Bolívia, Chile, Brasil e Uruguai. Na década de 90 a malha foi privatizada, e em 2015 o governo nacionalizou a malha. 

Suíça começa a testar uso de drones para entregas postais

04/08/2015 - Gazeta do Povo – PR

Com quatro hélices, o aparelho consegue transportar um pacote de até dez quilos por mais de 10 quilômetros

ESTADÃO CONTEÚDO

O Correio da Suíça começa a fazer testes para entregar encomendas com a ajuda de drones. A meta é usar de forma regular a tecnologia até o fim da década, principalmente nas áreas mais remotas do país e em certas localidades dos Alpes. Empresas como a Amazon já haviam iniciado um debate sobre esse uso. Mas o serviço postal suíço quer ser um dos primeiros serviços públicos a aderir à tecnologia. Nova Zelândia e Alemanha também já começaram os testes. Desde o fim de 2014, Berlim faz, de forma experimental, a entrega de remédios a uma ilha no mar Báltico usando drone.

Com quatro hélices, o aparelho consegue transportar um pacote de até dez quilos por mais de 10 quilômetros. Fabricado pela empresa americana Matternet, o drone não precisa ser pilotado e, segundo um comunicado dos Correios da Suíça, voa até o local indicado usando "caminhos seguros".

A meta é reduzir o custo de entregas de pacotes e de cartas em dezenas de vilarejos afastados nas montanhas e em locais isolados dos Alpes. No período de inverno, muitos desses locais acabam sendo afetados pela neve, inclusive com a interrupção de serviços postais.

Os testes que foram concluídos na semana passada deixaram boa impressão entre os técnicos e executivos, mas o serviço postal suíço informou que "um uso comercial realista da tecnologia terá de esperar cerca de cinco anos para ocorrer". Um dos obstáculos é a duração da bateria para permitir a realização de voos com regularidade.

Os obstáculos para a introdução do sistema, porém, vão muito além de questões técnicas. Uma nova regulação sobre o voo de aeronaves não tripuladas teria de ser aprovada pelo Parlamento.

Carteiros

Com ou sem a solução para esses obstáculos, os executivos suíços já garantem que os carteiros não serão abolidos com a chegada dos drones. "Trata-se de uma tecnologia para complementar o carteiro", afirmou Dieter Bambauer, diretor de Logística dos Correios.

Num primeiro momento, o uso seria limitado a situações de emergência, como para garantir o abastecimento de remédio a um local afetado por uma tempestade de neve. Outra possibilidade será o transporte de material que exige certa urgência, como testes laboratoriais.

Nova York a Londres em 90 minutos: Airbus registra patente de novo jato supersônico

05/08/2015 - O Globo

RIO - Num futuro próximo, a experiência de cruzar o Oceano Atlântico pode ficar bem diferente — e rápida. Superrápida, na verdade. Se hoje uma viagem entre Nova York e Londres dura cerca de sete horas, a fabricante europeia de aeronaves Airbus quer encurtar este tempo. E pretende investir num avião capaz de fazer esse mesmo trajeto em apenas 90 minutos. A patente do novo jato supersônico já foi autorizada pelo Escritório de Patentes dos Estados Unidos.

A máquina permitiria viajar de São Francisco a Paris em apenas 3 horas. A nova patente da Airbus foi originalmente registrada em 2010, mas somente foi autorizada no mês passado. Segundo a rede CNN, o projeto envolve um jato classificado como "veículo aéreo ultrarrápido", capaz de superar até quatro vezes a velocidade do som. O avião poderia carregar até 20 passageiros ou três toneladas de carga por distâncias de cerca de 8.850 quilômetros — Nova York e Londres estão a quase 5.600 quilômetros distantes uma da outra.

A patente tem duração de um ano e descreve um jato que poderia carregar "passageiros VIP e executivos, que precisam de jornadas transcontinentais dentro de um dia". O registro explica que a aeronave reduziria o barulho do "estrondo supersônico" causado quando o jato quebra a barreira do som.

Segundo o jornal francês "Libération", o modelo patentado possui três sistemas de propulsão distintos. Dois turbomotores são usados nas manobras terrestres e de decolagem. Um motor de foguete permite ao avião uma ascensão quase vertical. Quando a aeronave alcança determinada altitude (de cerca de 35 quilômetros, mais de três vezes a usada pelos voos comerciais atualmente), um terceiro sistema de propulsão permite ao avião se deslocar horizontalmente à velocidade supersônica.


UM NOVO CONCORDE?

Não é a primeira vez que se tenta encurtar o tempo da viagem. O histórico modelo Concorde — construído pela empresa precursora da Airbus, a Aérospatiale, com a British Aircraft Corporation entre 1965 e 1978 — voava de Nova York à capital da Inglaterra em 3 horas e meia antes de encerrar suas atividades comerciais, em 2003.

O documento apresentado no registro lembra que, além do Concorde, somente o modelo russo Tupolev Tu-144 é supersônico. O projeto da Airbus permite "melhorar o desempenho de ambas as aeronaves consideravelmente", segundo a descrição da patente.

A expectativa é grande. No entanto, James Darcy, diretor de Comunicação Corporativa da companhia, ressaltou que o projeto ainda está em fase de pesquisa e desenvolvimento — e pode nunca ser executado de fato.

— O grupo Airbus e suas divisões registram centenas de patentes todo ano para proteger a propriedade intelectual — declarou Darcy. — Nem toda patente progride a ponto de se tornar uma tecnologia ou produto integralmente realizada.

Eurostar compra sete trens e aumenta a quantidade de destinos na Europa

04/08/2015 - O Globo

A Eurostar está gastando 300 milhões de libras (R$ 1,2 bilhão) em sete novos trens. O objetivo é aumentar o número de destinos da empresa com trajetos mais distantes e atrair mais passageiros que, atualmente, optam por viagens aéreas.

Exatamente 20 anos depois do início do trecho ferroviário entre Londres, Paris e Bruxelas, a Eurostar apresentou, semana passada, o novo visual dos trens. O projeto faz parte da estratégia de expansão da frota e que está orçado em 1 bilhão de libras (R$ 4 bilhões).

Nessas duas décadas, a ligação entre as três capitais europeias transformou o transporte local. A Eurostar domina cerca de 80% do mercado entre esses destinos. Segundo a empresa, esse percentual é o dobro do que era logo depois do lançamento.

— Eu não acho que podemos ir muito além disso. O crescimento para nós não está mais dentro de Paris ou Bruxelas, está em outros destinos — disse o presidente-executivo da Eurostar, Nicolas Petrovic.

Nos próximos dois anos, as tradicionais linhas amarelas das laterais do Eurostar serão vistas do norte da França e da Bélgica, até Marselha, no sul do país francês, e Amsterdã, na Holanda.

— Precisamos convencer os passageiros que vale a pena experimentar a nossa companhia e trocar as viagens aéreas pelas ferroviárias. Temos de criar novos mercados que não existem agora — disse Petrovic.

Os novos trens terão assentos maiores, com mais espaço entre uma poltrona e outra, além de Wi-Fi em todos os vagões. Segundo a empresa, o júri que decidirá se a troca da da viagem aérea pela terrestre vale a pena é formado pelos passageiros.

A Eurostar espera que os novos trens possam ajudar a empresa a combater qualquer concorrência futura. A empresa alemã Deutsche Bahn está planejando uma outra rota ferroviária por túnel, que ligará Frankfurt a Londres, via Bruxelas.

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Eurostar vai encher de trens a rota Londres-Paris

22/07/2015 - Uol

A Eurostar International Ltd. disse que lançará conjuntamente em dezembro seus primeiros trens novos em duas décadas para ajudar a lidar com o crescimento da demanda, que não deixou nenhum lugar vazio nos serviços mais populares entre Londres e Paris neste verão europeu.

Os dez modelos expressos e320 pedidos à Siemens AG em 2010 foram entregues da fábrica da companhia em Krefeld, Alemanha, e agora vários deles serão introduzidos ao mesmo tempo, e não no decorrer de vários meses, disse o CEO Nicolas Petrovic em entrevista de Londres nesta terça-feira.

"Teremos uma massa crítica de trens muito rapidamente", disse Petrovic depois que a Eurostar registrou um número recorde de passageiros no trimestre. "Gostaríamos de ter a máxima quantidade possível antes do próximo verão europeu. No momento, o problema é que nossos trens estão cheios".

O número de passageiros cresceu 3 por cento, para 2,8 milhões, nos três meses até junho, período em que o crescimento recomeçou depois da estagnação do primeiro trimestre, quando um incêndio fechou o Eurotúnel e um ataque na sede da revista Charlie Hebdo em Paris reduziu a demanda. Embora a desvalorização do euro esteja encorajando os britânicos a viajar para o continente, as vendas estão fortes em todos os setores, disse Petrovic.

"Definitivamente, o mercado francês está melhorando", disse o CEO, acrescentando que o impacto de iniciativas do governo para ajudar as empresas está "permeando-se" e que a valorização da libra esterlina não tem afetado o número de visitas ao Reino Unido tanto quanto se temia. "Imaginávamos que o mercado de lazer sofreria, mas ele continua bem. E o mercado americano está voltando depois de Charlie Hebdo".

Impulso para Marselha

As reservas para o serviço de seis horas e meia da Eurostar com destino a Marselha, inaugurado no dia 1º de maio, chegaram a 88.000 pessoas, e o trens normalmente transportam de 500 a 600 passageiros, ou seja, 80 por cento da capacidade.

Os trens e320, que atingem 320 quilômetros por hora, terão capacidade para 900 pessoas, um quinto a mais do que os atuais modelos da Eurostar com base no design do TGV, da Alstom SA. As unidades da Siemens têm bancos maiores, conexão Wi-Fi gratuita e interiores da empresa italiana Pininfarina. Um segundo pedido de sete conjuntos, pelo valor de cerca de US$ 600 milhões, foi feito em novembro.

A Eurostar também reformará 14 dos trens da Alstom. O primeiro deles voltará ao serviço em agosto, e os outros serão reformados nos próximos dois anos e meio. O interior dos veículos, renomeados como e300, será praticamente idêntico ao dos novos trens e320, e é possível que alguns dos outros dez modelos clássicos sejam atualizados para prolongar seu tempo de uso e atender às necessidades de capacidade, disse Petrovic.

A Eurostar está acrescentando passageiros em um momento em que as viagens pelo Canal da Mancha "nunca estiveram tão competitivas", disse o executivo, pois os ônibus de longa distância e o serviço de corrida compartilhada BlaBlaCar, com sede em Paris, estão disputando a faixa mais econômica do mercado, e empresas aéreas de baixo custo lideradas pela EasyJet Plc e integrantes de redes de companhias aéreas, entre elas a British Airways, também estão "lutando duramente".

A introdução de serviços com destino a Amsterdã foi adiada de dezembro de 2016 para 2017, pois ainda se está trabalhando para definir um plano de segurança na Holanda, onde a Eurostar nunca operou, e para conseguir mais quadros de horários, disse Petrovic.

quarta-feira, 8 de julho de 2015

China começa a exportar café para Europa por ferrovia

02/07/2015 - EFE

A província chinesa de Yunnan começou nesta quarta-feira a exportar café à Europa por ferrovia, após a saída do primeiro trem com destino ao porto holandês de Roterdã.

O comboio ferroviário leva 2.050 toneladas de café, além de outros produtos, e prevê que chegue ao seu destino em 15 dias após passar pelo Cazaquistão, Rússia, Bielorrússia, Polônia e Alemanha, segundo indicou a agência estatal "Xinhua".

Trata-se de uma nova adição aos diversos trens de mercadorias que unem China com a Europa (como o que realiza o trajeto Madri-Yiwu), e que usam menos tempo que o transporte marítimo (aproximadamente 30 dias até Roterdã), mas em contrapartida levam menos volume de carga que uma embarcação.

O serviço ferroviário entre Kunming (capital de Yunnan) e a cidade holandesa realizará dois trajetos de ida e volta por mês.

Está previsto que neste ano sejam exportadas 24 mil toneladas de café por esta via, embora o projeto pretenda alcançar 140 mil toneladas em 2016 e 300 mil toneladas ao ano seguinte.

Yunnan, uma província predominantemente rural no sudoeste da China, produz 99% do café cultivado neste país. 

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Caminhões que se dirigem sozinhos devem ganhar ruas antes dos carros

29/06/2015 - Folha de SP

Giuliana Vallone de Nova York

Em 2002, o filme "Minority Report", estrelado por Tom Cruise, mostrava uma cidade americana 50 anos no futuro tomada por carros sem motoristas. Fora da ficção, essa tecnologia não demorou tanto assim para aparecer.

No Estado da Califórnia, carros do Google que dispensam motoristas começaram a circular na semana passada pela cidade de Mountain View, sede da companhia.

Em Nevada, dois caminhões da linha Freightliner Inspiration, da Daimler, que se dirigem sozinhos foram autorizados a trafegar pelas estradas estaduais. São acompanhados de motoristas que fiscalizam a operação e assumem o volante em casos emergenciais.

Mas, embora os testes sejam promissores, especialistas afirmam que alguns entraves devem atrasar a implementação da tecnologia no dia a dia dos consumidores.

"Primeiro veremos autonomia parcial em veículos de transporte de cargas e de passeio. Depois, talvez em dez anos, virão os veículos com autonomia total", afirma Xavier Mosquet, analista do setor automotivo da consultoria Boston Consulting Group.

A empresa estima que as vendas globais de veículos autônomos devem atingir US$ 42 bilhões em 2025, uma fatia de 13% do mercado –desses, no entanto, apenas 0,5% serão totalmente independentes de motoristas. Em 2035, a autonomia completa deve subir para 9,8%.

A tecnologia deve ganhar tração primeiro no mercado de caminhões, para só depois atrair os consumidores de carros. Segundo Mosquet, isso acontece porque o custo de implementação da tecnologia é praticamente o mesmo nas duas categorias, mas os compradores de caminhões têm mais dinheiro para INVESTIR.

TERRITÓRIO NACIONAL

No Brasil, esse tipo de tecnologia esbarra em um outro problema, segundo Ricardo Takahira, da SAE Brasil (Sociedade dos Engenheiros da Mobilidade): a infraestrutura precária.

"A qualidade das estradas brasileiras não é a mesma da dos Estados Unidos ou da Europa. E esses veículos ainda são muito dependentes de infraestrutura, precisam das faixas de rolamento pintadas corretamente, de sistemas de rádio frequência para estar o tempo todo conectados", diz.

No caso do carro do Google, o veículo utiliza dados de sensor e de mapas para determinar onde está e como se movimentar e também quais obstáculos há no caminho, com base no tamanho, na forma e no movimento deles.

Para Takahira, essas tecnologias também podem deixar as estradas mais seguras. "Esses veículos param, freiam e se mantêm dentro das faixas sozinhos. É um jeito de fiscalizar o motorista."

No mercado norte-americano, a estimativa do BCG é que veículos parcialmente autônomos possam aumentar em 30% a segurança para motoristas de caminhões e carros. No longo prazo, o potencial é de redução de 90% dos acidentes nas estradas.

Os veículos não estão imunes a ocorrências. O Google reportou 12 acidentes envolvendo os protótipos –a maioria, afirma a companhia, foram consequência de erros humanos causados pelos motoristas dos outros carros

domingo, 28 de junho de 2015

Aplicativo lançado em Nova York permite alugar ônibus coletivamente

28/06/2015 -O Globo

POR NYT

RIO - Um aplicativo que permite alugar, coletivamente, um ônibus fretado. Esta é a ideia do Skedaddle, que começou a funcionar este mês em Nova York. O serviço funciona assim: o usuário cadastrado escolhe a sua rota de preferência (saindo de Nova York e Boston) com dia e horário. Se pelo menos quinze pessoas estiverem dispostas a fazer o mesmo trajeto (e confirmarem a saída até 48hrs antes), o fretamento do ônibus é confirmado.

O aplicativo tem também rotas fixas, inauguradas recentemente. Elas vão operar de Manhattan até Fire Island, Bay Shore, Long Island e Boston & Crane Beach na cidade de Ipswich, no estado de Massachusetts.

Os preços variam de acordo com o destino. Para uma viagem até Fire Island, por exemplo, os primeiros cinco lugares são vendidos por US$ 5 cada. A partir do 11º lugar, o preço pode chegar a US$ 22,50. Em uma viagem para Philadelphia, os preços alcançam US$ 120, mas os primeiros assentos continuam custando US$ 5.

O Skedaddle ainda tem planos de adicionar uma terceira rota programada, entre Boston e Hyannis, em Cape Cod, a partir do final de semana de 4 de julho, quando os Estados Unidos comemoram sua independência.

De acordo com o site, a maioria dos ônibus têm assentos de couro e conexão wi-fi. Site: letskedaddle.com

sexta-feira, 19 de junho de 2015

Entra em serviço novo trem de mercadorias entre China e Europa

Um novo trem de mercadorias que conecta a China à Europa entrou em funcionamento neste sábado, abrindo assim uma nova rota comercial entre os parceiros. O trem saiu nesta manhã de Harbin, capital da província de Heilongjiang , com 49 contêineres de produtos eletrônicos e componentes de automóveis por um valor total de US$ 3 milhões, informou hoje a agência oficial "Xinhua". 

A viagem de 9.820 quilômetros leva 15 dias, e passará pela Rússia e pela Polônia antes de chegar a seu destino, Hamburgo, na Alemanha, explicou Tu Xiaoyue, gerente da companhia HAO Logistics, empresa mista que administrará o serviço. A viagem será feita uma vez por semana e transportará produtos de China, Coreia do Sul e Japão, e de países europeus como Espanha, Alemanha, Polônia, França e Itália. 

O serviço entrou em funcionamento depois de ser inaugurado em dezembro a rota ferroviária mais longa do mundo (13.052 quilômetros) entre Madri e a cidade chinesa oriental de Yiwu, a primeira linha direta entre os dois países, que permite que os produtos cheguem em Madri em 21 dias, quase 30% a menos que os aproximadamente 30 necessitários para percorrer essa mesma distância de navio. Esta é a quarta rota ferroviária entre a China e a Europa. 

Matéria publicada em 13/06/2015

Fonte: EFE
Publicada em:: 17/06/2015

Volvo Group lança rota de ônibus elétricos na Suécia

19/06/2015 - Jornal do Commercio - PE

A primeira rota de ônibus elétricos de Gotemburgo, na Suécia, foi inaugurada ontem. Os ônibus são silenciosos, não emitem poluentes e rodam à base de eletricidade de origem eólica e hidrelétrica. A rota desse ônibus está entre as mais modernas do mundo. Entre outras facilidades, os passageiros podem recarregar seus telefones a bordo e embarcar e desembarcar em estações fechadas.

Os ônibus alimentados exclusivamente com energia renovável passarão a fazer parte do sistema de transporte público de Gotemburgo. A rota 55 tem três ônibus totalmente elétricos e sete ônibus híbridos elétricos, todos eles da Volvo Buses. Os ônibus da rota, que vai de Chalmers Johanneberg até Chalmers Lindholmen, passando pelo centro de Gotemburgo, são equipados com Wi-Fi a bordo e estrutura para carregamento da bateria do telefone.

Além disso, os ônibus usam baterias que são rapidamente recarregadas com eletricidade renovável nos pontos finais. A parada de Chalmers Lindholmen tem um terminal fechado, que só é possível porque os ônibus são silenciosos e não emitem poluentes.

"A meta do Volvo Group é ser líder mundial em soluções de transporte sustentável. Com uma colaboração exclusiva em Gotemburgo, podemos lançar a rota de ônibus elétrico aqui e continuarmos líderes no desenvolvimento do transporte público do futuro", diz Niklas Gustafsson, diretor de sustentabilidade do Volvo Group.

sábado, 16 de maio de 2015

Odebrecht faz melhor oferta técnica em licitação de metrô no Panamá

14/05/2015 - EFE

O consórcio formado pela Construtora Norberto Odebrecht e a FCC Construcciones (Espanha), obteve nesta quinta-feira a melhor pontuação na oferta técnica na licitação das obras da linha 2 do metrô da Cidade do Panamá. 

As pontuações das propostas técnicas foram reveladas hoje em um ato no qual também serão conhecidas as ofertas financeiras e será definido o consórcio que executará a obra, cujo preço de referência foi estabelecido em US$ 1,818 bilhão. 

Qualquer proposta financeira que estiver abaixo de US$ 1,459 bilhão ou acima de US$ 2,182 bilhões será descartada, de acordo com a informação oficial. 

O chamado Consórcio Linha 2, que tem as mesmas empresas que ganharam a licitação para a construção da linha 1, em funcionamento desde 2014, obteve 396 pontos na oferta técnica, que representa 51% da qualificação. Já a oferta econômica representa os 49% restantes. 

A proposta técnica do Consórcio UTE PANAMÁ II, formado por Dragados S.A (Espanha), Ingenieros Civiles Asociados S.A. de C.V. (México) e Graña y Montero, S.A. (Peru), obteve 317 pontos. 

A do Consórcio PANAMetro, integrado pela China Harbour Engineering Company LTD (China), China Railway First Group Co., LTD (China) e Corsan-Corviam Construction, S.A. (Espanha) somou 311 pontos. 

O contrato para a construção da linha 2 consiste nos serviços de engenharia de projeto, construção das obras civis, instalações auxiliares e estações, provisão e instalação do sistema integral ferroviário, que inclui o material rodante e início do serviço, de acordo com informações oficiais. 

A empresa que vencer a licitação terá um período de 46 meses para concluir a obra, que inclui 16 estações e 22 quilômetros de extensão. 

A linha 1 do metrô, de 16 quilômetros, foi construída pela Odebrecht e a FCC por cerca de US$ 2,1 bilhões e entrou em funcionamento em abril do ano passado. 


Fonte: EFE
Publicada em:: 14/05/2015

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Odebrecht e FCC ganham licitação de linha de metrô no Panamá

15/05/2015 - Época Negócios

O consórcio formado pela Construtora Norberto Odebrecht e a FCC Construcciones, da Espanha, venceu nesta quinta-feira a licitação da linha 2 do metrô da Cidade do Panamá. O chamado Consórcio Linha 2 apresentou a melhor oferta financeira, de US$ 1,857 bilhão, entre os três participantes da licitação, e também obteve a melhor nota em sua proposta técnica.

O preço de referência da licitação era de US$ 1,818 bilhão, e a oferta que mais se aproximasse, segundo uma complexa fórmula estabelecida, seria a melhor avaliada, não necessariamente a mais baixa.

A oferta econômica tem um peso de 49% no concurso internacional, e a proposta técnica, 51%, que Odebrecht e FCC também levaram a melhor com ampla vantagem.

Há um prazo de cinco dias úteis para apresentar recursos contra o resultado da licitação, e se isso não ocorrer, será confirmado o resultado de hoje.
O contrato para a construção da linha 2 consiste nos serviços de engenharia de projeto, construção das obras civis, instalações auxiliares e estações, provisão e instalação do sistema integral ferroviário, que inclui o material rodante e início do serviço, de acordo com informações oficiais.

A empresa que vencer a licitação terá um período de 46 meses para concluir a obra, que inclui 16 estações e 22 quilômetros de extensão.

A linha 1 do metrô, de 16 quilômetros, foi construída pela Odebrecht e a FCC por cerca de US$ 2,1 bilhões e entrou em funcionamento em abril do ano passado.

segunda-feira, 11 de maio de 2015

Flórida vira refúgio de abastados da Venezuela

11/05/2015 - Folha de São Paulo

O condomínio Oasis, em construção na cidade de El Doral, na grande Miami, terá 132 casas com valor inicial de US$ 1,5 milhão.

Ao menos cem foram vendidas para uma nova categoria de estrangeiros que está injetando fortunas na economia local: os venezuelanos.

Fugidas da violência ou vítimas das medidas econômicas do governo socialista, milhares de famílias abastadas vêm se mudando para Miami e arredores, levando consigo economias pessoais e dinheiro para investir.

O número de venezuelanos legais nos EUA saltou de 91 mil em 2000 para 259 mil em 2012, segundo dados oficiais. Cerca da metade vive na Flórida, e em especial em El Doral, apelidada de Doralzuela.

"Sempre houve venezuelanos em Miami, mas antes eles vinham a passeio. Hoje eles vêm para ficar", diz o prefeito de El Doral, Luigi Boria.

Ecoando opinião unânime, Boria vê um salto no fluxo de chegadas desde 2012, no embalo da deterioração da situação na Venezuela.

O impacto econômico dessa migração ainda não foi medido, mas sinais saltam aos olhos, principalmente no setor imobiliário.

Quase metade dos compradores latinos de imóveis na Flórida são venezuelanos, 87% dos quais pagam em dinheiro vivo, diz a corretora International Sales Group.

Em El Doral, quase todos os corretores são venezuelanos, para atender à nova classe de clientes, muitos dos quais não dominam o inglês.

Dos US$ 2 bilhões investidos no projeto Midtown Doral, um complexo de casas e shopping em construção, 80% saíram do bolso de venezuelanos, segundo Boria.

"Fala- se muito em El Doral, mas venezuelanos compram também em áreas centrais, como Brickell. Uns querem residências, outros usam como investimento", diz o corretor Francisco Angulo.

Outro setor visado pelos venezuelanos é o de exportação- importação. "É uma maneira de manterem contato com a Venezuela, onde muitos ainda têm negócios", diz a consultora Maria Antonietta Díaz, especializada em amparar recém- chegados.

Venezuelanos também são grandes consumidores de artigos de luxo. "Minha melhor clientela estrangeira é da Venezuela", diz Nelson Velez, gerente da seção Porsche na The Collection, uma das concessionárias mais exclusivas de Miami.

Na reluzente nova loja da Apple em Miami Beach, o que mais se ouve é o sotaque dos clientes venezuelanos.

A maior parte da comunidade é antichavista. Mas Miami também abriga boliburgueses, empresários que enriqueceram graças a contratos com o governo.
 
CHOQUE CULTURAL

Nem tudo é fácil para investidores venezuelanos em Miami. O empresário Alberto J. chegou há três semanas, mas já pensa em voltar para Caracas.

domingo, 10 de maio de 2015

Tradicional táxi londrino será elétrico em 2018

09/05/2015 - O Globo


Os ortodoxos táxis pretos de Londres estão para sofrer uma transformação radical: até 2018, ganharão uma versão híbrida tipo plug in. Serão veículos elétricos, com baterias carregadas por meio de tomada e o auxílio de um pequeno motor a gasolina para aumentar a autonomia.

Desde 2013, a London Taxi Company pertence ao grupo chinês Geely (dono também da sueca Volvo). A produção dos black cabs híbridos se dará em uma nova fábrica, em Ansty, na Inglaterra. Para tanto, a Geely fará um INVESTIMENTO de £ 250 milhões - o equivalente a R$ 1,13 bilhão.

O novo táxi se chamará TX5 e manterá a tradicional silhueta dos atuais TX4 equipados com motor turbodiesel da italiana VM Motori. É um design que descende diretamente dos Austin FX4 (1958-1997).

Londres é uma das cidades mais empenhadas em apoiar os carros elétricos para reduzir emissões. Desde o início deste ano, outro modelo de táxi híbrido plug in já roda pelas ruas da capital: são os Metrocab, da rediviva Frazer-Nash. Esses black cabs pós-modernos são capazes de rodar 600km entre cada recarga na tomada. Tamanha autonomia só é possível com a ajuda de um motorzinho 1.0 a gasolina que serve como gerador - o consumo do combustível fóssil fica na casa dos 40km/l.

Você acha que táxis "emissão-zero" são coisa nova? Pois saiba que, em 1897, carruagens eletricas Bersey já levavam passageiros (dois de cada vez) pelas ruas da Inglaterra vitoriana. Eram 75 táxis que rodavam à velocidade máxima de estonteantes 15km/h em absoluto silêncio e sem vibrações, fumaça ou vapor.

O problema era, desde então, a autonomia reduzida: apenas 50km entre as recargas. Daí que a fábrica Bersey saiu de cena em 1899 - quatro anos antes de os primeiros táxis a gasolina chegarem às ruas de Londres!