segunda-feira, 29 de junho de 2015

Caminhões que se dirigem sozinhos devem ganhar ruas antes dos carros

29/06/2015 - Folha de SP

Giuliana Vallone de Nova York

Em 2002, o filme "Minority Report", estrelado por Tom Cruise, mostrava uma cidade americana 50 anos no futuro tomada por carros sem motoristas. Fora da ficção, essa tecnologia não demorou tanto assim para aparecer.

No Estado da Califórnia, carros do Google que dispensam motoristas começaram a circular na semana passada pela cidade de Mountain View, sede da companhia.

Em Nevada, dois caminhões da linha Freightliner Inspiration, da Daimler, que se dirigem sozinhos foram autorizados a trafegar pelas estradas estaduais. São acompanhados de motoristas que fiscalizam a operação e assumem o volante em casos emergenciais.

Mas, embora os testes sejam promissores, especialistas afirmam que alguns entraves devem atrasar a implementação da tecnologia no dia a dia dos consumidores.

"Primeiro veremos autonomia parcial em veículos de transporte de cargas e de passeio. Depois, talvez em dez anos, virão os veículos com autonomia total", afirma Xavier Mosquet, analista do setor automotivo da consultoria Boston Consulting Group.

A empresa estima que as vendas globais de veículos autônomos devem atingir US$ 42 bilhões em 2025, uma fatia de 13% do mercado –desses, no entanto, apenas 0,5% serão totalmente independentes de motoristas. Em 2035, a autonomia completa deve subir para 9,8%.

A tecnologia deve ganhar tração primeiro no mercado de caminhões, para só depois atrair os consumidores de carros. Segundo Mosquet, isso acontece porque o custo de implementação da tecnologia é praticamente o mesmo nas duas categorias, mas os compradores de caminhões têm mais dinheiro para INVESTIR.

TERRITÓRIO NACIONAL

No Brasil, esse tipo de tecnologia esbarra em um outro problema, segundo Ricardo Takahira, da SAE Brasil (Sociedade dos Engenheiros da Mobilidade): a infraestrutura precária.

"A qualidade das estradas brasileiras não é a mesma da dos Estados Unidos ou da Europa. E esses veículos ainda são muito dependentes de infraestrutura, precisam das faixas de rolamento pintadas corretamente, de sistemas de rádio frequência para estar o tempo todo conectados", diz.

No caso do carro do Google, o veículo utiliza dados de sensor e de mapas para determinar onde está e como se movimentar e também quais obstáculos há no caminho, com base no tamanho, na forma e no movimento deles.

Para Takahira, essas tecnologias também podem deixar as estradas mais seguras. "Esses veículos param, freiam e se mantêm dentro das faixas sozinhos. É um jeito de fiscalizar o motorista."

No mercado norte-americano, a estimativa do BCG é que veículos parcialmente autônomos possam aumentar em 30% a segurança para motoristas de caminhões e carros. No longo prazo, o potencial é de redução de 90% dos acidentes nas estradas.

Os veículos não estão imunes a ocorrências. O Google reportou 12 acidentes envolvendo os protótipos –a maioria, afirma a companhia, foram consequência de erros humanos causados pelos motoristas dos outros carros

domingo, 28 de junho de 2015

Aplicativo lançado em Nova York permite alugar ônibus coletivamente

28/06/2015 -O Globo

POR NYT

RIO - Um aplicativo que permite alugar, coletivamente, um ônibus fretado. Esta é a ideia do Skedaddle, que começou a funcionar este mês em Nova York. O serviço funciona assim: o usuário cadastrado escolhe a sua rota de preferência (saindo de Nova York e Boston) com dia e horário. Se pelo menos quinze pessoas estiverem dispostas a fazer o mesmo trajeto (e confirmarem a saída até 48hrs antes), o fretamento do ônibus é confirmado.

O aplicativo tem também rotas fixas, inauguradas recentemente. Elas vão operar de Manhattan até Fire Island, Bay Shore, Long Island e Boston & Crane Beach na cidade de Ipswich, no estado de Massachusetts.

Os preços variam de acordo com o destino. Para uma viagem até Fire Island, por exemplo, os primeiros cinco lugares são vendidos por US$ 5 cada. A partir do 11º lugar, o preço pode chegar a US$ 22,50. Em uma viagem para Philadelphia, os preços alcançam US$ 120, mas os primeiros assentos continuam custando US$ 5.

O Skedaddle ainda tem planos de adicionar uma terceira rota programada, entre Boston e Hyannis, em Cape Cod, a partir do final de semana de 4 de julho, quando os Estados Unidos comemoram sua independência.

De acordo com o site, a maioria dos ônibus têm assentos de couro e conexão wi-fi. Site: letskedaddle.com

sexta-feira, 19 de junho de 2015

Entra em serviço novo trem de mercadorias entre China e Europa

Um novo trem de mercadorias que conecta a China à Europa entrou em funcionamento neste sábado, abrindo assim uma nova rota comercial entre os parceiros. O trem saiu nesta manhã de Harbin, capital da província de Heilongjiang , com 49 contêineres de produtos eletrônicos e componentes de automóveis por um valor total de US$ 3 milhões, informou hoje a agência oficial "Xinhua". 

A viagem de 9.820 quilômetros leva 15 dias, e passará pela Rússia e pela Polônia antes de chegar a seu destino, Hamburgo, na Alemanha, explicou Tu Xiaoyue, gerente da companhia HAO Logistics, empresa mista que administrará o serviço. A viagem será feita uma vez por semana e transportará produtos de China, Coreia do Sul e Japão, e de países europeus como Espanha, Alemanha, Polônia, França e Itália. 

O serviço entrou em funcionamento depois de ser inaugurado em dezembro a rota ferroviária mais longa do mundo (13.052 quilômetros) entre Madri e a cidade chinesa oriental de Yiwu, a primeira linha direta entre os dois países, que permite que os produtos cheguem em Madri em 21 dias, quase 30% a menos que os aproximadamente 30 necessitários para percorrer essa mesma distância de navio. Esta é a quarta rota ferroviária entre a China e a Europa. 

Matéria publicada em 13/06/2015

Fonte: EFE
Publicada em:: 17/06/2015

Volvo Group lança rota de ônibus elétricos na Suécia

19/06/2015 - Jornal do Commercio - PE

A primeira rota de ônibus elétricos de Gotemburgo, na Suécia, foi inaugurada ontem. Os ônibus são silenciosos, não emitem poluentes e rodam à base de eletricidade de origem eólica e hidrelétrica. A rota desse ônibus está entre as mais modernas do mundo. Entre outras facilidades, os passageiros podem recarregar seus telefones a bordo e embarcar e desembarcar em estações fechadas.

Os ônibus alimentados exclusivamente com energia renovável passarão a fazer parte do sistema de transporte público de Gotemburgo. A rota 55 tem três ônibus totalmente elétricos e sete ônibus híbridos elétricos, todos eles da Volvo Buses. Os ônibus da rota, que vai de Chalmers Johanneberg até Chalmers Lindholmen, passando pelo centro de Gotemburgo, são equipados com Wi-Fi a bordo e estrutura para carregamento da bateria do telefone.

Além disso, os ônibus usam baterias que são rapidamente recarregadas com eletricidade renovável nos pontos finais. A parada de Chalmers Lindholmen tem um terminal fechado, que só é possível porque os ônibus são silenciosos e não emitem poluentes.

"A meta do Volvo Group é ser líder mundial em soluções de transporte sustentável. Com uma colaboração exclusiva em Gotemburgo, podemos lançar a rota de ônibus elétrico aqui e continuarmos líderes no desenvolvimento do transporte público do futuro", diz Niklas Gustafsson, diretor de sustentabilidade do Volvo Group.