sábado, 29 de agosto de 2015

México e EUA inauguram sua 1ª ligação férrea em mais de 100 anos

 25/08/2015 - EFE

México e Estados Unidos inauguraram nesta terça-feira a ponte ferroviário internacional Matamoros-Brownsville, a primeira ligação férrea entre os dois países em mais de 100 anos e do qual se espera que aumente até em 40% o fluxo de bens na região. 

A nova ponte, que substituirá uma que foi construída em 1910, foi projetada para aliviar o congestionamento e melhorar a segurança viária ao redirigir o tráfego de trens para fora das áreas urbanas de Matamoros (no estado mexicano de Tamaulipas) e Brownsville (Texas), além de reforçar a capacidade de transporte. 

O fluxo de bens e de pessoas nas duas cidades aumentará substancialmente, assim como melhorarão as condições ambientais da região, alegaram em comunicado conjunto as secretarias mexicanas de Relações Exteriores, Fazenda, e Comunicações e Transportes. 

Ainda segundo as secretarias, os tempos para se chegar de um país a outro, tanto para veículos leves como para os de transporte de carga, serão reduzidas consideravelmente e impulsionarão o desenvolvimento econômico da região. 

O projeto é uma grande oportunidade para revitalizar a região urbana de Matamoros, aproveitando os novos espaços que ficarão livres para destiná-los a parques e espaços comerciais, de entretenimento e arte, e melhorar a qualidade de vida dos moradores, acrescentaram as autoridades mexicanas. 


Fonte: EFE
Publicada em:: 25/08/2015

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Com mudança na lei, França está com passagens de ônibus mais baratas

24/08/2015 - O Globo

RIO - O elogiado sistema ferroviário da França está sofrendo uma competição (sadia) com outro modal de transporte público. A aprovação no começo do ano da polêmica Lei Macron (que pretende aumentar a competitividade do país e flexibilizar leis), já está afetando as tarifas de ônibus para baixo, afirma o site Condé Nast Traveler.

Em uma pesquisa de rota entre Paris e Lyon realizada nesta quinta (20), é possível sentir as mudanças. Dentre as diversas opções de valores, há um voo por 162 euros e passagens de ônibus por apenas 6 euros (em uma viagem com duração de mais de 6 horas). O trem entre as duas cidades custa 73 euros na segunda classe, mas a viagem é de apenas 2 horas.

Segundo a Conde Nast, a expectativa é de que a maioria das pessoas ainda escolha o tempo mais curto de viagem, embora mais caro, na hora de se locomover. Ainda sim, o site de pesquisa de transporte GoEuro acredita que cinco milhões de pessoas deverão utilizar os ônibus ao redor do país até o final de 2016.

As mudanças internas vão repercutir também em outros países, já que as companhias francesas inauguraram rotas com valores mais baixos para cidades como Amsterdam, Bruxelas e Barcelona, diz a publicação.

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Argentina inaugura serviço de trem regional

24/07/2015 - Via Trolebus

Após a estatização da rede ferroviária, o Governo Argentino inaugurou um novo serviço de trem ligando a cidade de Neuquén com Cipolletti, na província de Río Negro. As composições que operam no trecho são movidos a diesel por motores Scania 400 HP. Os trens possuem ar condicionado, e disponibilidade para 140 passageiros sentados.

A remodelagem da ferrovia envolveu obras nas estações, reforma dos trilhos e pontes. Novos funcionários foram contratados. A ferrovia possui 55 km de extensão com 10 passagens de nível. O serviço pode ser pago com uma espécie de Bilhete único.

A rede ferroviaria Argentina possuí 34.059 km, e conexões internacionais com Paraguai, Bolívia, Chile, Brasil e Uruguai. Na década de 90 a malha foi privatizada, e em 2015 o governo nacionalizou a malha. 

Suíça começa a testar uso de drones para entregas postais

04/08/2015 - Gazeta do Povo – PR

Com quatro hélices, o aparelho consegue transportar um pacote de até dez quilos por mais de 10 quilômetros

ESTADÃO CONTEÚDO

O Correio da Suíça começa a fazer testes para entregar encomendas com a ajuda de drones. A meta é usar de forma regular a tecnologia até o fim da década, principalmente nas áreas mais remotas do país e em certas localidades dos Alpes. Empresas como a Amazon já haviam iniciado um debate sobre esse uso. Mas o serviço postal suíço quer ser um dos primeiros serviços públicos a aderir à tecnologia. Nova Zelândia e Alemanha também já começaram os testes. Desde o fim de 2014, Berlim faz, de forma experimental, a entrega de remédios a uma ilha no mar Báltico usando drone.

Com quatro hélices, o aparelho consegue transportar um pacote de até dez quilos por mais de 10 quilômetros. Fabricado pela empresa americana Matternet, o drone não precisa ser pilotado e, segundo um comunicado dos Correios da Suíça, voa até o local indicado usando "caminhos seguros".

A meta é reduzir o custo de entregas de pacotes e de cartas em dezenas de vilarejos afastados nas montanhas e em locais isolados dos Alpes. No período de inverno, muitos desses locais acabam sendo afetados pela neve, inclusive com a interrupção de serviços postais.

Os testes que foram concluídos na semana passada deixaram boa impressão entre os técnicos e executivos, mas o serviço postal suíço informou que "um uso comercial realista da tecnologia terá de esperar cerca de cinco anos para ocorrer". Um dos obstáculos é a duração da bateria para permitir a realização de voos com regularidade.

Os obstáculos para a introdução do sistema, porém, vão muito além de questões técnicas. Uma nova regulação sobre o voo de aeronaves não tripuladas teria de ser aprovada pelo Parlamento.

Carteiros

Com ou sem a solução para esses obstáculos, os executivos suíços já garantem que os carteiros não serão abolidos com a chegada dos drones. "Trata-se de uma tecnologia para complementar o carteiro", afirmou Dieter Bambauer, diretor de Logística dos Correios.

Num primeiro momento, o uso seria limitado a situações de emergência, como para garantir o abastecimento de remédio a um local afetado por uma tempestade de neve. Outra possibilidade será o transporte de material que exige certa urgência, como testes laboratoriais.

Nova York a Londres em 90 minutos: Airbus registra patente de novo jato supersônico

05/08/2015 - O Globo

RIO - Num futuro próximo, a experiência de cruzar o Oceano Atlântico pode ficar bem diferente — e rápida. Superrápida, na verdade. Se hoje uma viagem entre Nova York e Londres dura cerca de sete horas, a fabricante europeia de aeronaves Airbus quer encurtar este tempo. E pretende investir num avião capaz de fazer esse mesmo trajeto em apenas 90 minutos. A patente do novo jato supersônico já foi autorizada pelo Escritório de Patentes dos Estados Unidos.

A máquina permitiria viajar de São Francisco a Paris em apenas 3 horas. A nova patente da Airbus foi originalmente registrada em 2010, mas somente foi autorizada no mês passado. Segundo a rede CNN, o projeto envolve um jato classificado como "veículo aéreo ultrarrápido", capaz de superar até quatro vezes a velocidade do som. O avião poderia carregar até 20 passageiros ou três toneladas de carga por distâncias de cerca de 8.850 quilômetros — Nova York e Londres estão a quase 5.600 quilômetros distantes uma da outra.

A patente tem duração de um ano e descreve um jato que poderia carregar "passageiros VIP e executivos, que precisam de jornadas transcontinentais dentro de um dia". O registro explica que a aeronave reduziria o barulho do "estrondo supersônico" causado quando o jato quebra a barreira do som.

Segundo o jornal francês "Libération", o modelo patentado possui três sistemas de propulsão distintos. Dois turbomotores são usados nas manobras terrestres e de decolagem. Um motor de foguete permite ao avião uma ascensão quase vertical. Quando a aeronave alcança determinada altitude (de cerca de 35 quilômetros, mais de três vezes a usada pelos voos comerciais atualmente), um terceiro sistema de propulsão permite ao avião se deslocar horizontalmente à velocidade supersônica.


UM NOVO CONCORDE?

Não é a primeira vez que se tenta encurtar o tempo da viagem. O histórico modelo Concorde — construído pela empresa precursora da Airbus, a Aérospatiale, com a British Aircraft Corporation entre 1965 e 1978 — voava de Nova York à capital da Inglaterra em 3 horas e meia antes de encerrar suas atividades comerciais, em 2003.

O documento apresentado no registro lembra que, além do Concorde, somente o modelo russo Tupolev Tu-144 é supersônico. O projeto da Airbus permite "melhorar o desempenho de ambas as aeronaves consideravelmente", segundo a descrição da patente.

A expectativa é grande. No entanto, James Darcy, diretor de Comunicação Corporativa da companhia, ressaltou que o projeto ainda está em fase de pesquisa e desenvolvimento — e pode nunca ser executado de fato.

— O grupo Airbus e suas divisões registram centenas de patentes todo ano para proteger a propriedade intelectual — declarou Darcy. — Nem toda patente progride a ponto de se tornar uma tecnologia ou produto integralmente realizada.

Eurostar compra sete trens e aumenta a quantidade de destinos na Europa

04/08/2015 - O Globo

A Eurostar está gastando 300 milhões de libras (R$ 1,2 bilhão) em sete novos trens. O objetivo é aumentar o número de destinos da empresa com trajetos mais distantes e atrair mais passageiros que, atualmente, optam por viagens aéreas.

Exatamente 20 anos depois do início do trecho ferroviário entre Londres, Paris e Bruxelas, a Eurostar apresentou, semana passada, o novo visual dos trens. O projeto faz parte da estratégia de expansão da frota e que está orçado em 1 bilhão de libras (R$ 4 bilhões).

Nessas duas décadas, a ligação entre as três capitais europeias transformou o transporte local. A Eurostar domina cerca de 80% do mercado entre esses destinos. Segundo a empresa, esse percentual é o dobro do que era logo depois do lançamento.

— Eu não acho que podemos ir muito além disso. O crescimento para nós não está mais dentro de Paris ou Bruxelas, está em outros destinos — disse o presidente-executivo da Eurostar, Nicolas Petrovic.

Nos próximos dois anos, as tradicionais linhas amarelas das laterais do Eurostar serão vistas do norte da França e da Bélgica, até Marselha, no sul do país francês, e Amsterdã, na Holanda.

— Precisamos convencer os passageiros que vale a pena experimentar a nossa companhia e trocar as viagens aéreas pelas ferroviárias. Temos de criar novos mercados que não existem agora — disse Petrovic.

Os novos trens terão assentos maiores, com mais espaço entre uma poltrona e outra, além de Wi-Fi em todos os vagões. Segundo a empresa, o júri que decidirá se a troca da da viagem aérea pela terrestre vale a pena é formado pelos passageiros.

A Eurostar espera que os novos trens possam ajudar a empresa a combater qualquer concorrência futura. A empresa alemã Deutsche Bahn está planejando uma outra rota ferroviária por túnel, que ligará Frankfurt a Londres, via Bruxelas.