sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Medellín, na Colômbia, inaugura linha de VLT

28/10/2015 - Via Trólebus

Linha de Veículos Leves sobre Trilhos tem 4,3 km de extensão e 9 estações, e transportará 85 mil passageiros por dia

Renato Lobo

Inauguração de linha de VLT em Medellín, na Colômb
Inauguração de linha de VLT em Medellín, na Colômbia
créditos: Via Trolebus

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, participou da inauguração da nova linha de VLT – Veículo Leve Sobre Trilhos, da cidade de Medellín.

Após alguns dias de testes, a abertura do serviço do novo modal foi realizada no dia 20 de outubro. A linha do VLT tem 4,3 km, o que inclui nove estações. A expectativa é que o sistema transporte, em média, 85 mil passageiros por dia.

Os trens foram fabricados por um consórcio na qual a Alstom teve a participação de um pouco mais de 50%. Os 12 VLTs são semelhantes aos que operam na França e Espanha. O veículo mede 39 metros de comprimento, e pode vencer rampas com inclinação de até 12%. Os trens devem operar a uma velocidade média de 30 km/h.

A cidade de Medellín conta com 38,1 km de rede de metrô, dividido em duas linhas com mais três de teleféricos, conhecidos como “metrocable”. O sistema transporta em média quase 500 mil passageiros diariamente. Com o novo VLT, os dois meios de transportes serão agora interligados.

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Consórcio incluindo Odebrecht vence licitação para metrô em Quito

28/10/2015 - Portal de Licitações

A prefeitura de Quito anunciou nesta terça-feira que um consórcio formado pela Odebrecht e pela espanhola Acciona venceu um contrato de 1,538 bilhão de dólares para construção da segunda fase do metrô do capital equatoriana.

A definição da disputa, que elegeu a oferta de menor custo, aconteceu após vários atrasos na negociação e problemas para obtenção de financiamento, que chega a 2 bilhões de dólares, incluindo duas fases do projeto, compra de material rodante e imprevistos.

A segunda fase do metrô de Quito inclui túneis subterrâneos, garagens e 13 estações. O contrato será assinado em 60 dias, após o consórcio obter garantias para implementação do projeto.

As autoridades pretendem que o trajeto de 22 quilômetros seja feito em 34 minutos e que o sistema transporte cerca de 400 mil passageiros por dia.

A Odebrecht está envolvida na investigação Lava Jato, da Polícia Federal, que apura escândalo de corrupção na Petrobras e em outras estatais, mas as autoridades equatorianas não viram problemas na participação da companhia na licitação.

A primeira fase do projeto foi construída pela Acciona. A construção da segunda fase terá um prazo de 36 meses.

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Há 40 anos, nasciam as ruas abertas em Bogotá

26/10/2015 -  Jornal GGN - Luis Nassif

As ruas abertas nasceram em Bogotá. Há mais de 40 anos.

Era Domingo, 15 de dezembro de 1974. Neste dia, um grupo de universitários organizou um movimento exigindo mais espaço para as bicicletas em Bogotá. A eles se juntaram cerca de 5000 pessoas que percorreram, durante 3 horas, 8 km de ruas e avenidas do centro da cidade. No domingo seguinte um outro movimento novamente ocupou as ruas do centro de Bogotá, naquela oportunidade para a disputa de competições de ciclismo e atletismo. A repercussão destas  manifestações foi enorme, e levou o poder público a tomar medidas até então impensáveis.

Em 20  de junho de 1976 um decreto definiu a abertura de 4 vias na cidade, com 34 km de extensão, e que ficaram conhecidas como "Las Ciclovías” ou "Ciclotón”. Nelas o trânsito de veículos ficou proibido ao longo da manhã. Com isto, o espaço da via, antes dedicado aos motorizados, se transformou em área de lazer e trânsito de bicicletas. Sua inauguração teve a participação de um grande público. Nascia então o primeiro programa de ruas abertas do mundo.

Porém ele só iria se consolidar a partir de 1982, quando movimentos pró bicicleta conseguiram organizar o evento semanalmente. Em 1986 eram 56 km de ruas abertas aos domingos em Bogotá. No início dos anos 90 o programa perdeu ímpeto até que, em 1994, 33 km de ciclovias foram desabilitados. Este foi um período muito difícil, pois a redução da extensão das ruas quebrava a continuidade dos circuitos.

Em 1995, são elaboradas novas diretrizes para as  Ciclovías. Inicialmente foram feitas pesquisas para identificar os perfis dos usuários. A partir de então as Ciclovías passam a ser vistas como elementos de conexão urbana. A escolha das vias a serem abertas foi criteriosa. Os parques públicos eram considerados como elementos de conexão prioritária, seguidos pelos equipamentos esportivos e, por fim, os elementos arquitetônicos, culturais e históricos da cidade. Esta estratégia permitiu a estruturação de circuitos fortemente articulados com a cidade. Simultaneamente, foi elaborado um novo e maior orçamento para a implementação desta proposta. Também houve uma reorganização das ações elaboradas pelos diversos órgãos responsáveis pelo programa.

Em 1996, as Ciclovias foram ampliadas para 81 km, e atingiram 70% das áreas da cidade. Novos sistemas de sinalização e comunicação são implementados. A fiscalização e a segurança do evento são melhoradas. Os vendedores ambulantes são cadastrados e organizados. Passeios cicloturísticos são oferecidos à população. Um programa de ciclomissas, conectado ao Templo Eucarístico do Parque Simón Bolivar, chegou a existir neste período. O programa foi utilizado como uma forma de difundir a prática de esportes entre a população da cidade. Aulas de como andar de bicicleta e outras atividades esportivas e recreativas são ministradas nos espaços públicos livres dos veículos. O advento de Las Ciclovías fomentou o aparecimento de uma nova relação dos bogotanos com a sua cidade e com seus concidadãos.

A ampliação do programa levou ao surgimento de uma malha de 121 km de ruas abertas em 2006. Hoje cerca de 1,5 milhão de bogotanos disfrutam de sua ampla rede de ruas abertas ao lazer e às bicicletas. Em 27 de janeiro de 2013 quase 2 milhões de pessoas passearam pelas Ciclovías. Apesar de centenas de cidades pelo mundo terem adotado programas semelhantes ao de Bogotá, estas marcas são, até hoje, insuperáveis no mundo.

Por: Marcos Costa

domingo, 25 de outubro de 2015

Ferrovia de alta velocidade chinesa entrará em operação

17/09/2015 - China Radio Internacional

A ferrovia de 308 quilômetros de extensão reduzirá o tempo de viagem entre as duas cidades para cerca de uma hora e meia durante sua etapa de operação inicial.

Na quarta-feira, os engenheiros começaram a testar a nova ferrovia, que se estende 185 quilômetros pela Província de Sichuan e corre 123 quilômetros através da cidade de Chongqing. Ao longo da via principal foram construídos 309 pontes e 38 túneis.

A ferrovia é parte de um importante projeto de corredor oriental de ferrovias de alta velocidade incluído no plano de desenvolvimento nacional de trens rápidos da China.

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Ônibus sem motorista é aprovado em testes na China

14/10/2015 - O Dia

Veículo autônomo identifica sinais de trânsito, muda de pista automaticamente e até ultrapassa carros

Rio - A fabricante chinesa Yutong anunciou que concluiu, de maneira bem-sucedida, testes com um modelo de ônibus, acredite, sem motorista. O veículo percorreu 32,6 km em uma estrada intermunicipal no centro cidade de Zhengzhou, na China, no fim de agosto.

O ônibus é tão inteligente que foi capaz de identificar todos os 26 sinais de trânsito da via, mudar de pista automaticamente e ultrapassar veículos nas pistas próximas, informou a montadora. Ainda assim, sempre havia um condutor de prontidão próximo ao volante em todos os testes para evitar possíveis incidentes.

Ônibus anda sozinho enquanto motorista assiste de braços cruzados
Foto: Reprodução de Vídeo

O veículo autônomo começou a ser pesquisado e desenvolvido em 2012. O vice-engenheiro chefe Tang Wang disse que a tecnologia precisa ser aperfeiçoada antes de entrar em uso efetivamente. "Você pode mudar entre o modo sem motorista e o manual", explicou.

Segundo a revista Wired, a Yutong não revelou a tecnologia que está utilizando e afirmou apenas que o ônibus funciona com laser, radar e sistemas de câmera para conseguir posicionar cada veículo na direção e orientação corretas, informou a Época Negócios online.

O Dia no Coletivo  publicou em abril que a sueca Volvo também testa uma tecnologia na Europa que vai permitir que dois ônibus de tamanho padrão circulem virtualmente conectados, através de rede wi-fi, operando como se fossem um único veículo articulado e com apenas um motorista. Na ocasião, a companhia anunciou que a novidade deve chegar ao Brasil após homologação para vendas na Suécia, prevista para 2018. Um dos objetivos é aumentar a capacidade operacional dos BRTs.

terça-feira, 6 de outubro de 2015

Táxis-robôs sem motorista serão testados no Japão

05/10/2015 - O Globo

RIO - Dezenas de pessoas de uma cidade no Japão serão levadas a lojas locais por táxis sem motorista a partir do próximo ano, em um experimento com tecnologia robótica com potencial de se tornar comercial quando Tóquio, a capital do país, acolher os Jogos Olímpicos de 2020.

Segundo o site do jornal britânico "The Guardian”, a partir de março de 2016, os táxis levarão cerca de 50 moradores de Fujisawa, uma grande cidade costeira perto de Tóquio, de suas casas para supermercados ao longo das estradas principais em viagens de cerca de 3km.

Com isso a empresa Robot Taxi — uma colaboração entre a ZMP, uma desenvolvedora de tecnologia automatizada de veículos, e a empresa de internet móvel Dena — vai esquentar a corrida global envolvendo Google, Ford, BMW e outras grandes companhias, para lançar veículos sem motorista no mercado consumidor.

Apesar dos desenvolvedores japoneses terem fé no GPS, nos radares e nas câmeras de visão estereoscópica do carro, atendentes vão sentar-se no banco do motorista durante as viagens, caso seja necessária intervenção humana, de acordo com relatos da imprensa local.

Se os ensaios de Fujisawa forem bem sucedidos, os carros poderiam ser usados para transportar os espectadores para os Jogos Olímpicos de 2020 e em comunidades rurais que disponham de pouco ou nenhum transporte público.

Como uma das sociedades cujos integrantes estão envelhecendo mais rapidamente no mundo, o Japão é tido como o país ideal para a introdução de veículos de autoconduzidos, em meio a um aumento do número de acidentes envolvendo motoristas mais idosos.

O número de motoristas japoneses com idades entre 75 anos ou mais foi de 4,25 milhões em 2013, e deverá ultrapassar 5 milhões em três anos.

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Turquia coloca em circulação o 1º ônibus do país que opera utilizando energia solar

01/10/2015 - Extra - RJ

A cidade de Istambul, capital da Turquia, colocou em circulação, em setembro, o primeiro ônibus do país que opera com uso de energia solar. Embora utilize combustível tradicional no motor, as telas sobre o veículo fornecem energia para as catracas, alto-faltantes, câmeras, conexão à internet via wi-fi e até carregadores de celular. O sistema também propicia uma carga extra para a bateria do automóvel, aumentando a eficiência energética.

O ônibus foi apresentado numa conferência para a imprensa promovida pela empresa pública que gere o serviço de transportes da capital turca, a Istanbul Electric Tram and Tunnel Company (IETT). O evento ocorreu em uma garagem no distrito de Topkapi, onde fica a primeira estação da rota do coletivo. De lá, ele segue para Eminönü, palco de grande parte das atrações históricas de Istambul, como a Mesquita Azul e a Basílica de Santa Sofia — ou seja, um trajeto com grande apelo turístico.

A IETT já havia apresentado outro ônibus ambientalmente amigável no ano passado. Batizado como "Botobus”, o veículo circula com plantas sobre o teto, de modo a compensar as emissões de gás carbônico. A Turquia vem trabalhando para aumentar a utilização de energia renovável e já tem um dos mais altos índices de capacidade de geração de energia solar da Europa.

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Espanha ganha nova Linha de Trem de Alta Velocidade

30/09/2015 - Via Trolebus

As cidades de León e Valladolid estão agora interligadas por uma ferrovia de alta velocidade com uma distância de 166 km entre as duas localidades. Nesta terça-feira (29), o primeiro-ministro Mariano Rajoy junto com a ministra do Desenvolvimento Ana Pastor inauguraram a nova ligação, com trens que correm até 350 Km/h, reduzindo o tempo de viagem entre Madri e León.

Devem prestar serviços Quatro séries entre elas composições produzidas pela Talgo e Bombardier, e pela CAF e Alstom. A operação ficará a cargo da empresa RENFE.

As estradas de ferro nacionais espanholas somam 15.000 km de vias. Madri e Sevilha já são ligadas por uma linha de alta velocidade, inaugurada em 1991. A segunda linha de alta velocidade, de Madri a Barcelona, foi concluída em 2007. A RENFE também opera a linha de média velocidade entre Madri e Valência, além da malha de trens metropolitanos que abrange 11 cidades, dividindo mercado com outra operadora ferroviária, a FGC.